Vitória mostra a força do Barradão e está na final da Copa do Brasil

Vitória mostra a força do Barradão e está na final da Copa do Brasil

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:24

O Vitória entrou em campo pressionado, precisando vencer o Atlético-GO por dois gols de diferença para se classificar à final da Copa do Brasil. Mas assim que pisaram o gramado, os jogadores sentiram o apoio de que tanto necessitavam. Aos gritos de ''vamos ganhar nego'' e ''time de guerreiros'', a torcida do Leão fez uma linda festa e deu um show à parte no Barradão na noite desta quarta-feira. Com isso, ajudou o time baiano a bater o rival por 4 a 0, gols de Uelliton e Júnior (2) e Viáfara. É a primeira vez na história que o time baiano chega à decisão do torneio.

Ao Atlético-GO, resta o lamento por ter chegado duas vezes com muito perigo à área rival, mas sem êxito, quando o jogo ainda estava 2 a 0 (derrota por 2 a 1 classificava o Dragão). O time goiano se despede sem ter perdido em casa. O Vitória decidirá o título e, consequentemente uma vaga na Libertadores de 2011, contra o Santos, que eliminou o Grêmio na outra semifinal. Porém, a torcida terá que segurar a empolgação, já que as partidas decisivas só serão disputadas após a Copa do Mundo, nos dias 28 de julho e 4 de agosto. O ordem dos jogos será decidida mediante sorteio nesta quinta-feira, às 14h, na sede da CBF, no Rio de Janeiro.

Para chegar à final, o Leão quebrou um tabu de nunca ter vencido o rival em jogos oficiais. Aliás, a equipe baiana sequer havia conseguido balançar as redes do Dragão. A classificação para a decisão e o gol marcado foram presentes de aniversário para o goleiro Viáfara, que completou 32 anos nesta quarta. Ídolo da torcida, o jogador ouviu o Barradão em coro gritar ''parabéns'', além de ganhar uma faixa em sua homenagem. Entretanto, ele não joga a primeira partida da final. Levou  o terceiro cartão amarelo ao fazer a ''paradinha'' no pênalti que resultou no quarto gol. O árbitro Heber Roberto Lopes se precipitou à recomendação da Fifa, que entra em vigor a partir do dia 1º de junho, puniu o goleiro e mandou repetir a cobrança.

Bola pelo alto resolve para o Vitória

O clima de decisão era pesado, e a partida começou com quase dez minutos de atraso porque a torcida jogava papel higiênico sobre o gol de Márcio, revelado no arquirrival Bahia. Ídolo do Vitória, Ramon precisou pedir que os torcedores parassem para o jogo ter início. A proposta das equipes também era bem definida. O Vitória tomava a iniciativa e ia para o ataque, empurrado pela torcida que não parava de cantar. O Atlético-GO apostava nos contra-ataques.

Apesar de ir para cima, o Leão só criou seu primeiro lance de perigo aos 13 minutos. Na cobrança de falta, Uelliton rolou para Bida, que chutou forte, mas Márcio espalmou. Do lado do Dragão, as chegadas ao gol de Viáfara eram raras. Aos 19, o goleiro colombiano defendeu com tranquilidade uma cabeçada de Agenor.

A formação defensiva do Atlético, com quatro volantes, dava pouco espaço ao Vitória, mas caiu por terra aos 29 minutos. Ramon cobrou falta para a área, e Uelliton ganhou no alto para abrir o placar. O gol abalou o time goiano e encheu os mandantes de ânimo. Aos 34, Elkeson avançou pela direita e cruzou para Bida, que escorou para o meio da área e Júnior chegou para completar para o fundo do gol. Muita festa na arquibancada: ''Oooo Diabo Loiro, faz um gol aí de novo''.

Foi o suficiente para Geninho desistir do quatro volantes, colocando o meia Weslley no lugar de Erandir. Mas foi o Vitória que quase voltou a marcar, aos 43. Ramon cobrou a falta na cabeça de Uelliton, mas Márcio fez uma grande defesa.

Dois times no ataque

O Vitória voltou ainda melhor para a segunda etapa e deu mais trabalho para o goleiro do Atlético-GO. Logo aos cinco, Egídio arriscou de fora da área, mas Márcio espalmou. Em seguida, Ramon cobrou falta para a área, a bola passou por todo mundo, e o camisa 1 teve que se esforçar mais uma vez para evitar o terceiro.

Mas o time goiano acordou. O Dragão passou a ir para o ataque, primeiro de forma desorganizada, mas depois dando trabalho para a defesa baiana. Aos 18, Pituca cruzou para Marcão, que, de cabeça, tentou encobrir Viáfara, mas acertou o travessão. No minuto seguinte, foi a vez de Juninho completar de cabeça o cruzamento de Thiago Feltri, mas o goleiro do Vitória fez a defesa.

A partida, então, ficou aberta. O Atlético-GO tentava o gol da classificação, e o Vitória o terceiro para definir a vaga. Nas arquibancadas, muita tensão: apreensão a cada ataque goiano e lamentações a cada chance perdida pelos baianos. O Leão tentou aos 27, em chute forte de Elkeson que parou em mais uma boa defesa de Márcio. O Dragão tentou responder aos 33, em uma batida de fora da área de Wesley, mas Viáfara também voltou a aparecer bem.

O Atlético-GO esteve muito perto de acabar com a festa do rival aos 44. Thiago Feltri cruzou, Marcão dominou na pequena área, mas se enrolou e perdeu a chance. O atacante ainda pediu pênalti, mas o árbitro não marcou nada.  No contra-ataque, Neto Berola driblou o goleiro fora da área e cruzou para Júnior empurrar para o gol aberto.

Ainda teve tempo para mais um. Júnior foi derrubado por Agenor e o árbitro marcou o pênalti. Na bola, o aniversariante Viáfara. Primeiro, uma cobrança com paradinha, que Heber equivocadamente mandou repetir. Na segunda vez, batida no canto direito de Márcio e explosão nas arquibancadas.

Os dois times voltam a campo no fim de semana pelo Brasileiro. O Atlético-GO recebe o Santos, em Goiânia, no sábado, às 18h30m. No dia seguinte, o Vitória viaja até Fortaleza para enfrentar o Ceará, às 16h.

Por Thiago Fernandes

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame