Rafael Camilo cresce no tênis e sai da sombra do irmão: 'É minha hora'

Rafael Camilo cresce no tênis e sai da sombra do irmão: 'É minha hora'

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 10:00

Desde que começou a se destacar como tenista juvenil, Rafael é mais conhecido como o irmão do Tiago. Não é de se estranhar. Afinal, o parente é o famoso judoca Tiago Camilo, campeão mundial e vice-campeão olímpico. Aos poucos, porém, Rafael, hoje com 20 anos, vem fazendo nome na modalidade que escolheu. E na última semana, quando foi vice-campeão de um torneio Challenger pela primeira vez, Rafael já mostrou que tem luz própria.

- Conversei com o meu irmão nesta última semana, a gente estava rindo muito disso, e ele falou: "Agora já deu dessa história de você ser o irmão do Tiago. Agora você é o Rafael, tem que ser conhecido por você, não mais por mim". Agora é minha hora. Meu irmão sempre me ajudou muito com os conselhos que me dá, mas agora espero ser chamado por Rafael mesmo - disse, por telefone, ao GLOBOESPORTE.COM.

Rafael nasceu em uma família de judocas. O primeiro a entrar para os tatames foi Luiz Francisco, o Chicão, irmão 11 anos mais velho. Em seguida, Tiago, que hoje tem 28, adotou o esporte dos tatames. Rafael começou a praticar a modalidade com 6 anos, mas, curiosamente, foi por grande influência dos irmãos que trocou o quimono pelas raquetes.

- Em 1997, o Guga ganhou Roland Garros, e começou toda aquela febre no Brasil. Meus irmãos começaram a jogar tênis. Eles moravam na capital, São Paulo, e quando eles iam para o interior (Rafael vivia em Tupã, SP), no fim de semana, eles iam ao clube jogar. Eu ia com eles e comecei a gostar. Aí falei para o meu pai que queria jogar tênis - explica.

Por dois anos, Rafael praticou as duas modalidades. Com 8 anos, fez a escolha pelas quadras e começou a treinar seriamente, sempre orientado pelo pai. Aos 16, foi morar sozinho em Santa Catarina para treinar com o argentino Patricio Arnold. No fim de 2007, deixou a terra de Guga e fez as malas para Porto Alegre, onde continua até hoje. Primeiro, treinou com Chico Costa, ex-capitão brasileiro da Copa Davis. Depois, passou a fazer parte do Instituto Gaúcho de Tênis (IGT), onde atualmente é orientado por Fernando Roese.

- Está sendo uma evolução bem legal. Não se pode atropelar os degraus, e isso está sendo muito bem feito onde eu treino, no IGT. O pessoal lá está me treinando e fazendo as coisas certas. Uma hora, os resultados vão começar a vir, assim como foi na semana passada. Foi um resultado ótimo, mas acho que em nenhum momento fui pego de surpresa com o resultado. Estou muito, muito feliz com a semana que tive, consegui as melhores vitórias da minha carreira. Foi muito positivo para mim - comemorou.

Dieta para continuar subindo

Rafael Camilo começou 2011 como número 448 do ranking mundial, mas a campanha em São Paulo, no segundo torneio mais importante do país, o fez subir para o 306º posto. O jovem paulista não quer parar por aí. Além de continuar evoluindo na parte técnica, ele quer perder peso para ganhar mobilidade dentro de quadra. Rafael diz ter perdido quatro quilos na pré-temporada e planeja perder outros seis rapidamente.

- A gente nunca pode pensar que está bom. A gente vai morrer melhorando. Eu tenho uma dificuldade com meu físico. Cada tenista tem seu problema, e estou lutando contra o meu. Quero perder mais uns seis, sete quilos ainda. Lá no Aberto de São Paulo, tive jogo de 3h30min, sob o sol, então meu físico não está ruim. Aguentei o jogo inteiro, sem cãibra, nada. Só preciso perder alguma coisa para melhorar mais ainda - explica.

Por: Alexandre Cossenza

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame