Gordon brilha, Griffin acorda no fim, e Clippers batem os Lakers no clássico

Gordon brilha, Griffin acorda no fim, e Clippers batem os Lakers no clássico

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 10:00

Teoricamente, os Clippers jogavam em casa. Mas era uma casa que os Lakers conhecem muito bem. No Staples Center lotado, palco dos dois times de Los Angeles, o clássico da Califórnia teve um desfecho incomum: vitória do primo pobre. Com um show de Eric Gordon e a teimosia de Blake Griffin, que não desistiu do jogo e despertou no fim, os Clippers trataram de estragar o domingo dos atuais campeões: a vitória por 99 a 92 é apenas a 14ª da equipe na temporada, mas chega com o sabor especial de ver o rival famoso deixando a quadra com a cabeça quente.

É a segunda vitória surpreendente dos Clippers em uma semana - a equipe já tinha batido o Miami Heat. E esta terminou de maneira controversa, com quatro jogadores expulsos a cinco segundos do fim, após um empurra-empurra no garrafão: Griffin, Baron Davis, Ron Artest e Lamar Odom.

Ala-armador da seleção americana, Gordon foi o cestinha da noite com 30 pontos, além de seis assistências e quatro roubos. Griffin fez um péssimo primeiro tempo, mas acordou na parte final do jogo e foi fundamental nos últimos minutos. Ele terminou com 18 pontos e 15 rebotes, apesar de ter precisado de 20 arremessos para acertar sete.

Pelo lado dos Lakers, Kobe Bryant também teve um primeiro discreto, mas reagiu e deixou a quadra como maior pontuador do seu time, com 27. Andrew Bynum, que concorre com o brasileiro Nenê por uma das vagas no All-Star Game de fevereiro, teve ótima atuação, com 18 pontos, 13 rebotes e três tocos.

Os Clippers agora têm 14 vitórias e 25 derrotas, ocupando o antepenúltimo lugar do Oeste. Os Lakers são os vice-líderes da conferência, com 30 triunfos e 12 tropeços, atrás apenas do San Antonio Spurs.

Astros demoram a acordar

Mesmo com Griffin bem marcado e produzindo pouco, o primo pobre conseguiu se manter à frente no primeiro período, com uma vantagem de 27 a 22. Se o jovem astro do garrafão não estava produzindo, o coadjuvante DeAndre Jordan deu muito trabalho aos Lakers, principalmente nos rebotes ofensivos.

Pau Gasol mantinha os atuais campeões no jogo, e a virada veio antes do intervalo. Àquela altura, Kobe tinha tentado apenas quatro arremessos, num primeiro tempo discreto.

O equilíbrio se manteve no terceiro período, mas aos poucos o craque dos Lakers foi voltando para a partida. Pelas mãos dele, o primo rico da Califórnia foi abrindo vantagem e chegou a liderar por 12 pontos. O primo pobre não se entregou e manteve o placar próximo até o fim.

Griffin melhorou muito nos minutos finais, e o time “da casa” conseguiu virar o marcador na metade do último período. Com uma cesta de três de Randy Foye, a três minutos do fim, a vantagem pulou para cinco. Logo em seguida, Gordon roubou a bola de Kobe e partiu para uma enterrada que abriu sete. Um lance livre de Griffin fez pular para oito.

O baixinho Baron Davis deu um toco espetacular no gigante Andrew Bynum, e Griffin logo fez a vantagem passar para nove pontos, com um minuto e meio por jogar. Estava decidida a parada.

Ainda houve tempo para um princípio de confusão a cinco segundos do fim. Odom puxou Griffin pela camisa, e Baron Davis foi tomar satisfação. Um bolo de jogadores formou o empurra-empurra embaixo da cesta, mas a arbitragem conseguiu evitar o pior. Griffin, Davis, Artest e Odom foram expulsos - e todo mundo foi para casa sem maiores problemas.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame