Flamengo e Ronaldinho: Vanderlei Luxemburgo quer juntar objetivos

Flamengo e Ronaldinho: Vanderlei Luxemburgo quer juntar objetivos

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 10:01

Uma década na Europa, de muito sucesso e algumas dificuldades, e Ronaldinho Gaúcho volta ao Brasil. Principal reforço do Flamengo para a temporada, o craque quer recomeçar, voltar a se firmar na Seleção Brasileira. O Rio será a casa dele pelo menos até a Copa do Mundo de 2014.

Vanderlei Luxemburgo acredita no projeto de Ronaldinho e quer unir aos planos do Rubro-Negro. Ter um astro no time não assusta o treinador. Ele diz que está totalmente acostumado. Foi assim em alguns dos clubes em que trabalhou, como no galáctico Real Madrid, na Seleção Brasileira e no próprio Flamengo.

- Vou conversar com o Ronaldo, pois não conversei pessoalmente com ele ainda. Vamos traçar objetivos do clube e a proposta dele pessoal, para o ajudarmos a concluir. O direcionamento para a Copa, para a Seleção, com o comportamento de atleta dentro do campo e não como pop star. Juntar objetivos – comentou.

A realidade do comprometimento é a principal delas. O treinador tem a exata dimensão do que Ronaldinho representa. Não se trata apenas de um jogador, mas de uma celebridade. Ainda assim, vai cobrar concentração nas metas.

- A personalidade de caráter nasce com ele e morre com ele. Não muda. É experiência, vivência. Ronaldinho deixou de ser aquele menino para ser um jogador mundialmente consagrado. Atleta tem que ter alguns objetivos. Se perder, fica só com a parte do sucesso que conquistou. Joguei ao lado do Zico. Ele ia de um lado e os outros jogadores do outro. Vai mudar a rotina do clube, isso é muito bom. Mostra o Flamengo com muita força. Nós vamos ter uma mudança na nossa estrutura para receber o Ronaldinho, e ele terá de se adaptar à nossa realidade – disse.

Foi Luxa quem convocou o craque para jogar na Seleção Brasileira principal. Na época, em 1999, era só um garoto. Depois de dez anos fora do país, o técnico espera um jogador preparado taticamente, mas com necessidade de readaptação.

- Ele volta com muito mais responsabilidade tática do que quanndo saiu. Em relação a trabalho, é totalmetne diferente do aplicado na Europa. Vai ter dificuldades no treinamento, até porquer o clima é diferente, o ritmo é diferente, tudo é diferente. Vai ser um período de adaptação, não dá pra precisar. Tudo é uma questão de etapas – informou.

Por: Richard Souza

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame