Da apreensão à euforia: Vasco vence ABC de virada e está nas oitavas

Da apreensão à euforia: Vasco vence ABC de virada e está nas oitavas

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:48

Foi com emoção, mais até do que os torcedores esperavam. O Vasco venceu o ABC por 2 a 1, de virada, nesta quarta-feira, em São Januário, garantindo a vaga para as oitavas de final da Copa do Brasil - o primeiro jogo foi 0 a 0. Depois de sair atrás no placar com o gol de Cascata, os cruz-maltinos marcaram com Alecsandro, de pênalti, e com Bernardo. O último deles, o do alívio, saiu aos 32 minutos do segundo tempo. A torcida lotou a Colina e, no fim, acabou voltando feliz para casa.

A equipe potiguar jogou com um homem a menos desde os quatro minutos da segunda etapa, quando Thiago Garça se chocou com Ramon na área, e o árbitro marcou pênalti inexistente. O jogador do ABC recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Na próxima fase, o Vasco enfrenta o Náutico, que eliminou o Bangu. A data ainda será definida pela CBF.

Cascata cala São Januário

A julgar pela empolgação da torcida, o esperado era que o Vasco entrasse em campo atropelando o ABC. Correria e disposição não faltaram. O time, porém, ficou devendo na bola. Com dificuldades para entrar na área, os cruz-maltinos passaram a arriscar de fora. O problema era a pontaria. Foi assim com Romulo, Fellipe Bastos, Ramon e Diego Souza. Fechado no campo de defesa só à espera dos contra-ataques, o ABC calou São Januário na primeira boa investida. Aos 18 minutos, Cascata arrancou nas costas de Allan, invadiu a área sem ser incomodado e tocou na saída de Fernando Prass: 1 a 0.

Ainda atônitos, os torcedores tentaram empurrar os jogadores ao som de "O Vasco é o time da virada". Felipe bem que se esforçou para tentar organizar o time, mas o nervosismo pareceu ter tomado conta. Todos queriam decidir o jogo. A equipe criou algumas boas oportunidades, mas faltava o capricho final. Alecsandro, após um giro dentro da área, chutou nas mãos do goleiro Wellington. Nesta altura, a impaciência já tomava conta das arquibancadas.

Felipe, em um lance individual, voltou a levantar os torcedores. Aos 36, o meia driblou o marcador e chutou da entrada da área. A bola desviou na zaga e passou rente à trave. No último lance do primeiro tempo, Diego Souza entrou na área, deixou o zagueiro no chão e, de perna esquerda, chutou na rede pelo lado de fora. Muitos vascaínos comemoraram, mas em vão.

Bernardo entra e vira o salvador da pátria

A segunda etapa começou de forma animadora para os vascaínos: gol logo aos quatro minutos. Ramon recebeu dentro da área pela esquerda e deu um salto antes de trombar com Thiago Garça. O árbitro viu pênalti e deu o segundo cartão amarelo para o zagueiro, que foi para o chuveiro mais cedo. Alecsandro chutou no meio, e o goleiro caiu para o canto direito: 1 a 1. O gol fincendiava novamente o Caldeirão. Em campo, o time seguiu o ritmo da arquibancada e partiu para a pressão.

Na blitz cruz-maltina, Alecsandro perdeu o gol após desviar de calcanhar um chute cruzado de Felipe. O goleiro defendeu com segurança. Depois, Diego Souza chegou atrasado em uma bola cruzada por Eder Luis e desperdiçou a oportunidade. Na vez de Eder, o atacante chutou cruzado e errou o alvo.

O grito de gol entalado na garganta dos vascaínos, enfim, saiu. Aos 32, Eder Luis foi até a linha de fundo e cruzou na medida para Bernardo, que mandou para a rede: 2 a 1. O jogador, que havia entrado no segundo tempo na vaga de Fellipe Bastos, comemorou alucinadamente com o banco de reservas e com os torcedores. Com a classificação na mão e um homem a mais em campo, os torcedores cantaram até "olé", e o Vasco passou a controlar o jogo do jeito que queria, só à espera do apito final.       

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame