Com a corda no pescoço, Goiás e Atlético-MG tentam se livrar da crise

Com a corda no pescoço, Goiás e Atlético-MG tentam se livrar da crise

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 10:14

Goiás e Atlético-MG se enfrentarão em uma partida de arrepiar. Em crise pelas péssimas campanhas, as equipes tentam mudar a rotina e conquistar três pontos. Com técnico novo – Jorginho, ex-auxiliar de Dunga –, a diretoria esmeraldina tenta motivar seus atletas. Já no Galo, Vanderlei Luxemburgo muda meio time para tentar algo novo na competição. Frequentadores assíduos da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, os times se encaram às 21h (de Brasília), nesta quarta-feira, no Serra Dourada, em Goiânia.

Se por um lado, os times vão bem na Copa Sul-Americana, já garantidos nas oitavas de final, por outro, vivem maus bocados no Brasileirão. O Goiás é o lanterna da competição e, das 17 rodadas disputadas até agora, figurou na zona de rebaixamento em 11. Já o Atlético-MG é o 18º colocado e esteve no Z-4 em dez rodadas. Desnecessário, portanto, dizer que os times brigarão desesperadamente pela vitória.

Para o Goiás, os três pontos são muito importantes, já que a vitória deixará a equipe à frente do rival Atlético-MG na tabela de classificação. Os anfitriões estão em último lugar, com 13 pontos, um a menos que o clube mineiro. Na última rodada, o alviverde perdeu para o Santos, por 2 a 0, na Vila Belmiro.

Se serve de alento, o Esmeraldino conta com a estreia do técnico Jorginho, ex-auxiliar de Dunga na Seleção Brasileira. O treinador, que substitui Leão no comando da equipe, não poderá contar com o atacante Rafael Moura, que recebeu o terceiro cartão amarelo na última rodada. Mas o volante Wellington Monteiro e o lateral-direito Wendel Santos voltam ao time após suspensão.

Como teve muito pouco tempo para conhecer o elenco, Jorginho treinou apenas jogadas de bolas aéreas e preferiu não fazer grandes mudanças no time. A única alteração é a entrada do atacante Otacílio Neto na vaga de Rafael Moura, suspenso.

- Estou informado sobre o que está acontecendo no clube. Sei da situação política, financeira, administrativa e também sei o que acontece dentro das quatro linhas. A crise é uma oportunidade para mostrarmos nossa capacidade de dar a volta por cima. Conto com o apoio da diretoria, dos jogadores e da torcida para podermos desempenhar um bom trabalho. Nosso primeiro passo é sair da zona de rebaixamento, então vamos galgar outros objetivos. Eu tenho muita confiança que faremos uma grande mudança.

Para espantar a crise   As coisas não andam nada bem pelos lados da Cidade do Galo. O time, além de ser o 18º colocado, é quem mais perdeu na competição e dono da pior defesa. Visando acabar com qualquer boato ou rumor sobre sua saída, o técnico Vanderlei Luxemburgo convocou entrevista coletiva nessa segunda-feira para fazer o seu ‘Dia do Fico’ pessoal.

- Não vim aqui falar para vocês que está tudo bem. Está tudo ruim! Cabe aos meus jogadores e à minha comissão técnica reverter esta situação. É nossa obrigação moral e profissional reverter. Com trabalho, seriedade e comprometimento, porque o Atlético-MG não merece estar nessa situação. Aqui nós temos todas as condições para trabalhar. Alguma coisa está faltando do nosso lado.

Durante o coletivo desta terça-feira, o treinador colocou Ricardinho, Diego Souza e Diego Tardelli para treinar no time reserva. O meia Diego Souza, contratado como o maior reforço da temporada, até agora não encontrou seu melhor momento no Galo.

Como se não bastasse a má fase, o atacante Diego Tardelli sentiu dores na coxa esquerda e foi cortado da delegação que embarcou para a Goiânia. Mas o torcedor do Galo teve, enfim, uma boa notícia: o atacante Obina, que, sentindo dores na perna esquerda, ficou fora dos dois últimos jogos, foi relacionado para o jogo e deverá começar entre os titulares.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame