Olimpíada de Língua Portuguesa define finalistas no Sul

Olimpíada de Língua Portuguesa define finalistas no Sul

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:31

“Antes da oficina, aqui no Paraná, eu achava que poesia tinha de ser apenas em rima. Mas descobri que existem todas as formas. Até uma poesia de quatro palavras.” A descoberta é de Brendo Skalski, aluno da quinta série da Escola Municipal Rui Barbosa, de Imbé, Rio Grande do Sul. Ele é um dos dez finalistas da Região Sul na Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, que teve a premiação regional realizada na quinta-feira, 23 de outubro, em Curitiba.

Desde terça-feira, 21, 42 alunos e 42 professores semifinalistas da quarta e quinta séries do ensino fundamental do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina estiveram na capital parananense, em oficinas de leitura e escrita. Brendo veio do litoral gaúcho com a professora Lisiane Goulart. Para ela, o aprimoramento ao longo de toda a olimpíada foi visível. “Às vezes, algo como a poesia parece muito distante da realidade da escola. Com a olimpíada, os alunos percebem que isso está ao seu alcance”, destacou Lisiane.

A proximidade com o aluno e o trabalho na escola também foram destacados pela secretária de Educação Básica do Ministério da Educação, Maria do Pilar Lacerda. “A competição e a premiação são apenas a cereja do bolo”, ressaltou. Para ela, o mais importante é o trabalho do professor e do aluno durante todo o processo da olimpíada, desde a leitura do material encaminhado às escolas -“muito qualificado”, destaca Pilar -até a confecção do texto final.

Os professores receberam um caderno de orientação adequado ao gênero de texto que deveriam trabalhar -poesia, no caso da quarta e da quinta séries -e, entre abril e agosto, realizaram oficinas de produção de textos durante o horário regular de aula. Lucinéia da Silva, professora da Escola Municipal Máximo Jamur, que acompanhava a semifinalista Sabrina da Silva Souza, de Guaratuba (PR), destacou a mobilização das turmas. “Além do trabalho específico, aproveitamos parte do tempo livre em algumas aulas para ampliar o tempo de leitura.” Para ela, iniciativas como a olimpíada são fundamentais para a aprendizagem de professores e alunos.

Números

As próximas semifinais da Olimpíada de Língua Portuguesa serão realizadas em Belo Horizonte, na terça-feira, dia 28/10. Depois, em Fortaleza, Goiânia, Recife e Belém. São Paulo, em 19 de novembro, sediará a última etapa, quando serão conhecidos os finalistas do estado em poesia e os de todo o país nas demais categorias -memória (alunos da sétima e da oitava séries) e textos de opinião (segundo e terceiro ano do ensino médio). A final está marcada para 1º de dezembro, em Brasília, quando serão premiados os cinco melhores textos em cada categoria.

Criada em parceria pelo Ministério da Educação, Fundação Itaú Social e Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), a olimpíada é uma forma de estimular a leitura de alunos e aprimorar o ensino da escrita em escolas públicas. O tema central deste ano é o Lugar Onde Vivo. Foram recebidas 202.280 inscrições de professores de 5.445 cidades. Na Região Sul, participaram 3.115 escolas do Rio Grande do Sul, 1.924 de Santa Catarina e 3.619 do Paraná.

Para a diretora do Itaú Social, Ana Beatriz Patrício, o tema proporciona uma reflexão crítica dos alunos, a partir do momento em que pensam e escrevem sobre a realidade. Mais do que a competição, segundo ela, o fundamental é a formação dos professores e a qualificação dos estudantes.

Siga-nos

Mais do Guiame