Mercado de azeite demanda especialização

Mercado de azeite demanda especialização

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 10:14

Por trás daquele fio de azeite que você coloca em cima da pizza ou usa para temperar a salada está um mercado em expansão e que demanda cada vez mais profissionais especializados, principalmente, no setor de degustação.

As multinacionais que importam azeite já têm um departamento específico para lidar com o produto que, hoje, é considerado de uma categoria superior, afirma Patricia Galasini, degustadora oficial da Associação Mille Sensi Itália.

De acordo com ela, vender azeite não é tão fácil quanto parece. "Ele não uma é commodity. Compreende degustação especial", diz "É um produto com alto valor agregado. Há azeites que custam R$ 300. Não basta comprar, é preciso saber o que se está comprando. Nesse sentido, o degustador tem um papel importante”, afirma.

Para Patrícia, o aumento do consumo da classe C, assim como o crescimento da importação de azeites no Brasil está impulsionando o mercado. Ela acredita que o que ocorreu com o vinho há 30 anos será repetido com o azeite.

Tradição

A degustadora explica que o brasileiro compra o azeite primeiro por tradição, ou seja, dos países que tradicionalmente fabricam o produto, como Espanha, Itália e Portugal.

“O brasileiro ainda não tem segurança quanto aos azeites produzidos na América do Sul. Depois de ver o país de procedência, normalmente, escolhe o azeite pelo preço, pela qualidade e pelo rótulo.”

Para quem tiver interesse em conhecer um pouco mais sobre o mundo do azeite, entre 8 e 11 de setembro acontece o primeiro curso de formação de provador de azeite no Brasil, no Senai. São 40 horas de aula e o investimento é de R$ 1540,00.

Na semana seguinte, nos dias 13 e 14 acontece a 4ª Expoazeite, que está aberta ao público a partir das 16h. A entrada é franca. Mais informações sobre o curso e a feira podem ser obtidas no site do evento .

Para saber apreciar o azeite, a degustadora dá algumas dicas:

• Cheire o bico da garrafa antes de consumir o azeite. Se sentir um aroma “rançoso”, é porque o azeite já está entrando em decomposição

• A cor do azeite varia de amarelo forte a claro. Azeite muito verde significa que tem muita clorofila

• Não guarde o azeite embaixo da pia ou perto do fogão. O local ideal é dentro da geladeira

• Verifique a data de fabricação. O consumo deve ser feito em até dois anos

• Verifique a condição da garrafa, chacoalhando-a. O líquido deve estar íntegro

• Azeite deve ser virgem ou extravirgem. Compostos de óleo não são azeites

Postado por: Thatiane de Souza

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame