“Você não vai sustentar sua fé se você não ler a Bíblia”, diz Priscilla Alcantara

Priscilla Alcantara falou ao Guiame sobre o ASU, sua participação no The Send e sua visão em relação ao campo missionário.

Fonte: Guiame, Luana NovaesAtualizado: sábado, 6 de julho de 2019 23:19

A cantora Priscilla Alcântara falou sobre suas expectativas para o avanço missionário da igreja brasileira em entrevista ao Guiame durante a ExpoEvangélica 2019. Depois de participar do The Send em Orlando (EUA), sua expectativa é ver o Brasil viver uma “onda de avivamento”.

“A evidência que o Brasil teve no The Send foi realmente Deus dando um anúncio do que a Ele já tem feito e falado aqui sobre o envio missionário, sobre o Brasil como um líder dessa onda de avivamento que temos ouvido há tanto tempo”, disse Priscilla.

O ASU, movimento organizado por Priscilla, estará em parceria com o The Send no Brasil em fevereiro de 2020. “Temos tantos líderes no Brasil e Deus me permitiu fazer parte dessa liderança estando lá [em Orlando]. Para mim é um privilégio. Eu comprei a visão do The Send desde as primeiras reuniões que tivemos no Brasil”, conta.

Seu apreço pelo envio missionário impulsionou a viagem feita em março para Angola, onde está a Aldeia Nissi, um projeto fundado em 2008 e mantido pela Companhia de Artes Jeová Nissi.

“Eu amo o campo missionário e eu sempre tive o sonho de conseguir conciliar a minha carreira profissional com o campo missionário, que é uma paixão para mim. Eu amo porque você vai lá e ninguém está nem aí para quantas pessoas eu canto ou quantos CDs eu vendo, e eu preciso disso”, afirma a cantora. 

“Eu sou o tipo de pessoa que precisa desse tipo de contato. Eu adoro o público, mas não são os olhares que me interessam. Ali eu me vi durante dez dias, ali eu dei sem esperar nada em troca, mas eu recebi mais do que eu dei. Isso me reabasteceu para voltar para cá e continuar fazendo o que eu faço”, acrescenta.

Tem que ler a Bíblia

Em uma geração bombardeada por todo tipo de influência externa, Priscilla acredita que “tem que ler Bíblia” para se manter enraizado nos princípios e valores do Reino de Deus. 

“Você não vai sustentar sua fé se você não ler a Bíblia, isso é um fato. Ainda mais nesse campo de tantas ideias, de tantas ideologias, a gente precisa ler a Bíblia — especialmente neste tempo de envio missionário. Talvez o seu campo seja na mídia, talvez o seu campo seja nos palcos e, para estar nesse lugar, você precisa de blindar; e para se blindar, você precisa ler a Bíblia”, observa.

Priscilla incentiva as pessoas a enxergarem os ambientes em que estão inseridas como seus próprios campos missionários. “Eu acho que tudo foi muito secularizado. Por muito tempo o cristão esqueceu que a salvação não é só sobre sua alma remida, mas a totalidade do ser humano foi remida na cruz”, disse.

“O Evangelho não é sobre a salvação da sua alma, mas a remissão do seu ser como um todo. O seu trabalho está incluso nisso, sua academia está inclusa nisso, tudo está incluso. Tudo foi durante muito tempo secularizado e a gente deixou de perceber que, na verdade, o nosso campo missionário é qualquer lugar onde a gente pisa a planta dos nossos pés e ali existe um ambiente de escuridão que precisa de luz”, completa.

Missões no dia a dia

Durante muito tempo, Priscilla conta que seu campo missionário foi a sua própria casa. “Conhecemos o campo missionário, que são as nações, mas às vezes o seu campo missionário é a sua própria casa, porque tem alguém que não conhece a Jesus lá”, afirma.

“A minha irmã ficou desviada por muitos anos. Enquanto eu todo final de semana estava levando salvação, eu não conseguia ver a salvação completa da minha irmã. Hoje está tudo bem, ela é uma mulher de Deus — muito mais que eu, inclusive. Eu acho que falta essa percepção. Por muito tempo a gente secularizou muita coisa e isso empobreceu a nossa visão de Reino”, acrescenta.

Falando sobre o ASU, Priscilla afirma que a “turnê tem mudado a nossa vida e tem mudado o Brasil profeticamente”. Em São Paulo, o ASU acontecerá no estádio do Allianz Parque em 5 de setembro de 2020. “Vamos dar o nosso melhor para ser a maior festa que o Corpo de Cristo já viu no Brasil”, afirma a cantora.

Siga-nos

Mais do Guiame