Ton Carfi apoia cantores seculares que gravam gospel: "Como dizer não a quem quer louvar?"

O cantor participou da Expoevangélica 2018 e deu uma entrevista exclusiva ao Portal Guiame para falar sobre carreira e caminhada cristã.

Fonte: Guiame, João NetoAtualizado: sexta-feira, 13 de julho de 2018 15:57

"Eu não consigo entender o pensamento de algumas pessoas, que tentam impedir quem não pertence à religião cristã de louvar a Jesus". O desabafo foi feito pelo cantor e compositor Ton Carfi em uma entrevista exclusiva ao Guiame, durante sua passagem pela Expoevangélica 2018, em Fortaleza.

O músico, que está prestes a lançar uma releitura de um de seus sucessos, voltou a fazer parceria com um cantor secular nesta nova versão, o MC Livinho, e explicou como a ideia foi surgindo. Segundo ele, a proposta veio do próprio MC, que foi seu aluno de canto durante um tempo.

"Eu estou para lançar uma releitura da canção 'Minha Vez', na qual eu fiz uma parceria com o cantor MC Livinho, que para quem não sabe, foi meu aluno de canto. [...] O mais interessante foi que ele me procurou e disse: 'Ton, eu quero cantar uma música gospel com você. Por favor, vamos gravar esta música", contou.

"Diante de um pedido desse eu não tenho como dizer não. Como é que eu posso dizer não para uma pessoa que quer cantar uma música cristã, uma música que fala de Deus?", questionou.

Ton lembrou que a proposta da nova versão gravada com Livinho vai além de simplesmente "fazer algo diferente" em sua carreira. "Imagina só, quantas pessoas que não conhecem a Jesus vão ser alcançadas por essa canção 'Minha Vez' na voz do Livinho? Muitas pessoas vão ser alcançadas. Então eu penso nisso, eu penso no Reino, eu penso nas vidas", lembrou.

Referências

Ton Carfi também comentou suas postagens de vídeos com breves reflexões sobre a vida cristã nas redes sociais, um hábito que tem desenvolvido e já está frutificando.

Segundo o cantor, ter referências de homens e mulheres de Deus é algo importante para a caminhada cristã. Mas se tornar referência para alguém é algo também muito gratificante. "A vida é feita de referências. [...] Comigo não é diferente. Eu tenho inúmeras referências pastorais e musicais, também de professores, filósofos, teólogos, que eu ouço muito", disse.

"A gente vive em um país onde as pessoas são muito humilhadas, são jogadas para baixo, com palavras, com ações de outras pessoas. Então eu quero fazer o contrário disso, quero liberar uma palavra de ânimo para esses jovens, uma palavra profética para esses jovens, para que eles cresçam e estabeleçam o Reino de Deus aqui no Brasil", acrescentou.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame