Sobrevivente de aborto declara perdão a mulheres que abortaram: "Jesus quer te libertar"

No último domingo, Gianna Jessen esteve no Brasil para contar sobre como sobreviveu a uma tentativa de aborto e os milagres que Deus fez em sua vida.

Fonte: Guiame, com informações da ADVECAtualizado: segunda-feira, 28 de maio de 2018 14:01

Aos 41 anos, Gianna Jessen é o que se pode chamar de prova viva de um milagre. Sua mãe biológica tentou abortá-la já com 7 meses e meio de gestação, mas para a surpresa dos profissionais da clínica de aborto, de sua mãe também dos médicos que cuidaram dela em uma encubadora, a pequena guerreira agiu contra todas as possibilidades.

"Eu nasci em uma clínica de aborto, salva pelo poder de Jesus Cristo", declarou Gianna, enquanto compartilhava seu testemunho na Escola Bíblica Dominical da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (tempo 01:08 no vídeo acima), liderada pelo pastor Silas Malafaia.

Quando a mãe biológica de Gianna tinha apenas 17 anos, acabou engravidando dela e, por ser muito jovem, foi recomendada a fazer um aborto com solução salina, mesmo que em um tempo tardio, pois aos sete meses, todo o sistema sensorial, que permite ao bebê sentir dores, já está formado. Esse tipo de intervenção é feita com o uso de um líquido injetado no útero, que leva o bebê a engolir a solução salina e todo o seu pequeno corpo é queimado por dentro e por fora.

Mas em uma conversa com um neonatologista - médico que estuda bebês recém-nascidos - ela perguntou sobre uma curiosidade com relação ao procedimento ao qual ela foi submetida ainda no útero de sua mãe biológica.

"Se você for buscar saber mais sobre esse procedimento no Google, a primeira coisa que acontece é queimar toda a pele do bebê. Então a minha pele deveria ser totalmente queimada", explicou Gianna. "Ele [médico] disse: 'Eu acredito que o fluido amniótico foi mais forte que a solução salina e isso te protegeu".

Gianna afirmou que mais que as explicações científicas, acredita que a mão de Deus esteve o tempo todo cuidado de sua vida.

"Mas isso aí para mim foi a glória de Deus. Ele é tão bom e eu sou a garota Dele! Então eu devo dizer: 'Não mexa comigo, porque o meu pai é o dono do mundo'. E também não é muito sábio causar problemas para um órfão".

"Então eles me colocaram em uma encubadora e disseram que ia morrer, mas eu não morro. Depois de vários meses no hospital, eu ainda não tinha morrido e eles falaram: 'Nossa! Ela tem um tremendo desejo de viver'.

Ainda bebê, após ter alta do hospital Gianna foi enviada a uma família que fazia parte de um programa de lares temporários para adoção. Mas foi rejeitada pela primeira família, depois que chegou àquela casa.

"Eu fui rejeitada desde o início por todos, menos por Deus. Ele me ama e luta por mim e por você também".

Gianna foi tirada daquele lar que a rejeitou e foi enviada a outra casa, de uma senhora chamada Penny. A essa altura, Gianna tinha 17 meses e já diagnosticada com paralisia cerebral, causada pela tentativa de aborto.

"Eu não teria paralisia cerebral se não tivesse passado pela tentativa de aborto. Vocês podem imaginar o quanto eu fico assustada quando ouço alguém dizer que o aborto deve ser permitido se o bebê nascer com um defeito físico. O que eles querem dizer isso? Se eu for considerada uma pessoa de menos valor porque tenho defeitos físicos, se eu devo ser morta porque tenho defeitos físicos, isso é o nível mais alto de arrogância que existe. Era assim também que Hitler pensava. E quem é você, pessoa saudável, para decidir qual nível de qualidade de vida eu vou ter?", questionou ela.

"De fato, quando você precisa que Jesus para coisas 'simples', como caminhar de um lado para o outro da sua sala, quando você realmente precisa de Jesus para tudo na sua vida, a sua qualidade de vida é fantástica. Eu me glorifico nas minhas enfermidades , porque o poder de Cristo habita em mim", acrecentou. "Os médicos disseram a Penny que eu não iria andar, não iria falar, mas nada é impossível para Deus", destacou.

Perdão

Apesar de ainda sofrer com sequelas da tentativa da forte agressão que sofreu ainda no útero de sua mãe, Gianna destacou que não cabe a ela julgar as mulheres que optam por abortar, pois Jesus quer perdoá-las e libertá-las.

"Em muitos lugares onde vou falar, há pessoas que fizeram aborto ou que conhecem pessoas que fizeram aborto. Eu quero te dizer que não estou aqui para te condenar, porque Jesus não está aqui para te condenar. Ele está aqui para te libertar, mas você precisa se arrepender, você tem que pedir perdão e tem que pedir para que Ele te liberte", disse.

"Mas se enquanto eu estou falando aqui, você escutar uma voz na sua cabeça, te acusando, você está ouvindo a voz errada. Essa é a voz do acusador. Então repreenda agora essa voz e avise a ela que você pertence a Jesus. Eu não me entreguei a Cristo para simplesmente caminhar ao lado Dele. Eu quero viver o impossível com Ele", acrescentou.

Confira o testemunho completo no vídeo acima.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame