Impeachment: acompanhe ao vivo a discussão e votação da Câmara

A partir das 14h deste domingo, a Câmara Federal inicia a sessão no Plenário, que levará à votação para decidir se deve o processo de impeachment de Dilma Rousseff deve ser aberto ou não.

Fonte: Guiame, com informações do G1Atualizado: domingo, 17 de abril de 2016 21:45

Neste domingo (17), o Brasil vive um momento que pode ficar marcado na história da nação. Será votado na Câmara Federal, a abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff.

Já do lado de fora da Esplanada dos Ministérios, manifestantes - contra e favoráveis ao impeachment - são esperados para marcar presença com bandeiras e cartazes com palavras de ordem.

Do lado de dentro, no Plenário da Câmara, os parlamentares proferiram seus discursos - tanto a favor do impeachment, como em defesa da presidente Dilma Rousseff - se estendendo por mais de 43 horas, desde sexta-feira (15).

Ao comentar a admissibilidade do impeachment em seu discurso, o deputado federal Roberto de Lucena (PV - SP) destacou que o Brasil vive uma "crise espiritual", vendo valores como o respeito à vida e aos Direitos Humanos serem desrespeitados e negligenciados.

"É uma crise espiritual, formulada pela quebra de princípios, pela relativização de valores, pelo derramamento de sangue inocente de milhões de crianças abortadas neste país e das centenas de crianças indígenas mortas a cada ano, vítimas do silêncio desta Casa e do Governo Federal. É também porque o Brasil, com sua representação maior, virou as costas para Israel. Fazendo isso, desprezou as bênçãos advindas desta relação: 'abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei aquele que te amaldiçoar. Em ti serão benditas todas as família da Terra", alertou.

Você pode acompanhar a transmissão e a cobertura completa da TV Câmara ao vivo também aqui no Portal Guiame, clicando no vídeo acima.

Dilma Rousseff tem sido acusada de improbidade administrativa e corre o risco de ser afastada por um impeachment. (Foto: 101 FM)

Confira abaixo o cronograma previsto pela Câmara para este domingo:

– A sessão está com início previsto para as 14h. Antes dos votação oficial, o relaltor Jovair Arantes terá a palavra por 25 minutos.

– Os líderes dos partidos poderão usar a palavra. O tempo varia de 3 a 10 minutos, de acordo com o tamanho da bancada, além de mais um minuto para orientação do voto dos deputados da legenda.

– A votação é por chamada nominal. A ordem começará com deputados do Norte e será feita alternância entre parlamentares do Norte e do Sul. Dentro de cada estado, a ordem de chamada é alfabética.

– Cunha vai decidir na hora se sai da Presidência para votar na chamada dos deputados do Rio ou se votará por último.

– Cada um dos deputados é chamado ao microfone para anunciar seu voto. Eles se levantam, vão ao microfone e respondem "sim" (aprovação), "não" (rejeição) ou "abstenção".

– Cada deputado deve gastar, em média, 30 segundos para votar, contando deslocamentos e pequenos discursos. Não haverá encaminhamento de votação nem questões de ordem nesse período.

– Os votos serão registrados por quatro secretários posicionados na Mesa, próximos do presidente Eduardo Cunha. Um registra os votos "sim", outro os "não", o terceiro registra as abstenções, e o quarto, os deputados ausentes.

– Quando o deputado anunciar seu voto, o secretário do voto correspondente diz em voz alta o nome do deputado, o voto e quantos votos daquele já existem.

– Terminada a chamada dos 513, faz-se uma segunda chamada dos que estavam ausentes na primeira.

– Com 342 votos "sim" (2/3 dos 513 deputados), o parecer é aprovado e é autorizada instauração de processo de impeachment da presidente da República. Caberá ao Senado decidir se processa e julga a presidente.

– Se não alcançar 342 votos, o parecer pró-impeachment é arquivado.

 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame