Cristã é rejeitada por sua família muçulmana, mas persevera: "Sempre seguirei a Jesus"

A sudanesa chamada Risma foi rejeitada por sua família muçulmana, após descobrirem que entregou sua vida a Jesus. Apesar do abandono, ela diz que "Deus é sempre bom".

Fonte: Guiame, com informações do Christian PostAtualizado: sexta-feira, 28 de abril de 2017 12:12
Cristãos sudaneses participam de culto. (Foto: REUTERS/MOHAMED NURELDIN ABDALLAH)
Cristãos sudaneses participam de culto. (Foto: REUTERS/MOHAMED NURELDIN ABDALLAH)

Uma mulher sudanesa que se tornou cristã enquanto trabalhava na Indonésia foi expulsa de casa por sua própria família muçulmana, depois que souberam sobre sua conversão.

O grupo de vigilância sobre perseguição religiosa 'International Christian Concern' compartilhou a história de Risma na última quarta-feira, explicando que ela inicialmente se mudou para Jacarta (Indonésia) para trabalhar como lojista.

"Um domingo, Risma sentiu um forte desejo de ir à igreja - o que era algo incomum em sua vida, já que ela era muçulmana e nunca tinha ido a uma igreja cristã. Por alguma razão, ela foi de qualquer maneira naquele dia", relatou a ICC.

Risma compartilhou que sentiu "a presença de Deus" assim que entrou na igreja.

"De repente, ela começou a chorar bastante, mas apesar das lágrimas, sentiu-se envolvida por muita paz e alegria, como nunca tinha sentido antes. Ela não tinha ideia do que aquilo significava, mas sabia que algo era diferente. Ela sabia que sua vida estava mudando naquele momento", acrescentou o relato do grupo.

A nova cristã decidiu voltar para casa para sua mãe e irmã muçulmanas, que não via há anos no Sudão, mas temia falar com elas sobre sua conversão ao Evangelho.

Risma tentou esconder sua fé da família, mas percebeu que iriam descobrir cedo ou tarde, quando percebessem que ela não estava mais participando das orações muçulmanas e outras atividades da família.

Risma disse que quando ela contou sobre sua conversão, sua mãe reagiu com agressividade.

"Sua mãe gritou com ela: 'Se você insistir em ser cristã, não terá mais permissão para ficar com sua família, você não tem mais permissão para ficar aqui. Você deve deixar esta casa e nunca pensar em voltar'. Exatamente assim, Risma foi forçada a deixar sua família com a qual acabara de se reunir", relatou a organização.

O ICC, que administra um fundo 'Save Our Sisters' para ajudar mulheres como Risma, disse que agora está ajudando a recém-convertida a encontrar um emprego e um lugar seguro para morar.

Apesar de ter sido rejeitada por sua própria família, Risma diz que ela não abandonar sua nova vida com Jesus Cristo.

"Eu sempre seguirei a Jesus, não importa o que aconteça em minha vida. Sim, é realmente difícil para mim agora, sem família, sem casa, sem trabalho, mas Deus é sempre bom", disse Risma.


Contexto
As conversões do Islã para o cristianismo são vistas como "altamente controversas" e até mesmo "blasfemas" em nações de maioria muçulmana como a Indonésia e também o Sudão. Diversas histórias recentes de famílias islâmicoas abandonando seus filhos que mudaram sua religião estão sendo registradas.

A organização cristã 'DOOR International', que ajuda a alcançar as pessoas surdas ao redor do mundo com o Evangelho de Jesus Cristo, relatou no início de abril que uma menina surda foi severamente espancada por familiares e precisou ser hospitalizada, depois que descobriram que ela havia se tornado cristã.

A menina chamada Saida é de um país da Ásia Central e recebeu pouca ajuda da polícia, mesmo depois de seus gritos levarem os vizinhos a pedirem ajuda.

"Quando a polícia chegou, viu que a família dela estava batendo nela e eles disseram: 'Bem, essa é uma questão familiar, então não nos envolveremos", contou Rob Myers, da 'DOOR International'.

"A família percebeu que eles tinham imunidade para continuar a espancá-la, então continuaram a fazê-lo até o ponto em que ela teve que ser levada para o hospital e internada na UTI", acrescentou o relato da organização.

Às vezes, as conversões das crianças e adolescentes ao cristianismo têm alcançado resultados mais positivos, no entanto.

Segundo um diretor de um ministério cristão, trabalhando no norte do Iraque com a 'Missão de Ajuda Cristã', alguns pais muçulmanos em campos de refugiados foram movidos por seus filhos para se voltarem a Cristo.

Siga-nos

Mais do Guiame