Tim Keller diz que câncer estagnou e nódulos foram removidos: “Queremos glorificar a Deus”

O pastor revelou que a doença está estagnada e o único câncer visível é o tumor primário no pâncreas.

Fonte: Guiame, Luana NovaesAtualizado: segunda-feira, 14 de junho de 2021 13:37
O fundador da Igreja Presbiteriana Redeemer foi diagnosticado com câncer no pâncreas em maio de 2020. (Foto: CBN News)
O fundador da Igreja Presbiteriana Redeemer foi diagnosticado com câncer no pâncreas em maio de 2020. (Foto: CBN News)

O pastor Tim Keller compartilhou uma atualização positiva sobre sua batalha contra o câncer de pâncreas, revelando que nódulos cancerígenos foram removidos e a doença está estagnada.

“Fiz um exame em maio que foi extremamente encorajador, não mostrando nenhum crescimento do câncer com a quimioterapia menos agressiva”, disse ele nas redes sociais nesta segunda-feira (14). 

“Uma cirurgia no final de maio removeu vários nódulos que permaneceram inalterados por 9 meses”, acrescentou Keller.

O pastor informou que, neste ponto, o único câncer visível é o tumor primário no pâncreas. “Estamos orando para que diminua até estar invisível ou permaneça inalterado. Em qualquer caso, queremos glorificar a Deus ‘correndo com perseverança a corrida que nos é proposta’ (Hebreus 12:1-2) — sabendo que Ele é sempre amoroso, sábio e bom”, afirmou.

Keller disse ainda que, enquanto passa por um tratamento menos agressivo, está se sentindo ativo e muito bem: “escrevendo, pregando (via Zoom) e curtindo meus netos”. “Muito obrigado por continuarem orando!”, finalizou.

O pastor fundador da Igreja Presbiteriana Redeemer, em Nova York (EUA), foi diagnosticado com câncer no pâncreas, aos 70 anos, em maio do ano passado, anunciando-o a público em junho de 2020. A doença agressiva já estava no estágio quatro e costuma vitimar os pacientes em um ano.

Histórico da doença

Em novembro de 2020, Keller havia revelado que os médicos ficaram “surpresos” com a resposta de seu corpo à quimioterapia. 

“Meu médico está surpreso e feliz por eu conseguir tolerar o alto nível contínuo de quimioterapia com relativamente poucos efeitos colaterais (eles estão lá, mas não tão debilitantes quanto poderiam ser), além de dar uma resposta terapêutica tão forte”, disse na época.

O pastor, que é um dos fundadores da Coalizão pelo Evangelho (TGC), também é um sobrevivente de câncer de tireoide, que teve em 2002.

Durante os meses de tratamento contra o câncer, Keller afirma ter mergulhado numa busca espiritual para aumentar sua fé na ressurreição de Cristo e a sua promessa de também ressuscitar os salvos.

Hoje, o pastor diz que está pronto para qualquer coisa. “O que o futuro reserva, eu não sei. Oro para que eu tenha anos, e não meses, e que a quimioterapia continue a ser eficaz. Mas estamos prontos para tudo o que Deus decidir por mim. Estamos espiritualmente prontos”, afirma.

E conclui: “Eu sei que a ressurreição de Jesus Cristo realmente aconteceu. E quando eu morrer, conhecerei a ressurreição também”.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame