"Se me deixarem solto, viro presidente de novo", diz Lula

Os petistas apontam que a nova fase Operação Lava Jato causou um efeito "positivo" para a imagem de Lula. Já os organizadores das manifestações do próximo dia 13 acreditam que a ação pode ajudar a dobrar a adesão aos protestos.

Fonte: Guiame, com informações do EstadãoAtualizado: quarta-feira, 9 de março de 2016 20:02

Segundo o ex-presidente Lula, o efeito do cumprimento da condução coercitiva, que o levou a prestar um depoimento na Polícia Federal, na última sexta-feira (4) e permitiu que suas propriedades fossem investigadas, está sendo "mais positivo que negativo".

"A partir de agora, se me prenderem, eu viro herói. Se me matarem, viro mártir. E, se me deixarem solto, viro presidente de novo", disse Lula. Segundo apurações do jornal "O Estado de S. Paulo", o ex-presidente tem se mostrado confiante em resgatar a imagem do PT.

Lula chegou a Brasília na última terça-feira (8), para se encontrar novamente com a presidente Dilma Rousseff. Já na manhã desta quarta-feira (9), ele marcou encontro com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que também tem sido alvo de pressões para aceitar a proposta do impeachment de Dilma.

Os petistas apontam que a Operação Lava Jato causou um efeito "positivo" para a imagem de Lula.

"O episódio unificou o PT e tirou o partido da paralisia. Atualmente, não há clima mais para falar em disputa entre correntes internas", disse o deputado Paulo Teixeira (PT-SP).


Manifestações
Apesar das declarações de membros do Partido dos Trabalhadores, organizadores das manifestações anti-governo que acontecerão no próximo dia 13/03 acreditam que as notícias da última sexta-feira sobre o cumprimento da condução coercitiva e as posteriores reações dos integrantes do PT devem dobrar a adesão aos protestos.

“Estávamos calculando uma média de 20 mil. Acho que vai passar de 35 mil a 40 mil pessoas”, afirma o líder nacional do Patriotas, Syllas Valadão.

Integrante do movimento 'Vem pra Rua' (VPR) - um dos maiores grupos envolvidos nas manifestações - Kátia Pegos diz que a ação, que representou uma nova fase da Operação Lava Jato, dá novo ânimo às manifestações contrárias ao governo.

“Isso resgata a esperança de que a Justiça seja feita. Isso confirma que vale a pena ir para as ruas, que conquistamos muita coisa em um ano de manifestações”, diz.

Siga-nos

Mais do Guiame