Poema que diz que ‘Deus é gay’ gera polêmica ao ser defendido por bispo, na Inglaterra

Segundo o Rev. Alan Wilson, da Igreja da Inglaterra, o poema intitulado "Depois de Orlando: Amor Gay” pode ser lido pelos olhos da chamada "teologia gay", que desafia as interpretações tradicionais da Bíblia.

Fonte: Guiame, com informações de The Telegraph e Christian TodayAtualizado: segunda-feira, 20 de junho de 2016 12:52
Carol Ann Duffy, autora do controverso poema  "After Orlando: Gay Love", que aponta Deus como gay. (Foto: Mikael Buck/Smart Energy GB)
Carol Ann Duffy, autora do controverso poema "After Orlando: Gay Love", que aponta Deus como gay. (Foto: Mikael Buck/Smart Energy GB)

“Deus é gay”. A afirmação controversa foi feita em um poema escrito pela escocesa Carol Ann Duffy, nomeada pelo reino britânico como poeta laureada da Inglaterra. No entanto, a polêmica ficou ainda maior quando um bispo protestante relacionou o texto, escrito em homenagem às vítimas de Orlando, aos escritos do Apóstolo Paulo.

De acordo com o Rev. Alan Wilson, da Igreja da Inglaterra, a reação de indignação em relação ao poema intitulado "After Orlando: Gay Love" (“Depois de Orlando: Amor Gay”, em tradução livre), é semelhante as respostas dos fariseus às epístolas do Novo Testamento.

Dentro do poema, o verso da linha 19 inclui pessoas que atuam em diversas áreas sociais como integrantes da comunidade LGBT. "O açougueiro, o padeiro, o fabricante de candelabro; nossos filhos são gays. E Deus é gay".

Embora o texto tenha sido rejeitado por cristãos de diversas linhas teológicas na internet, Wilson disse que o poema poderia ser lido pelos olhos da chamada "teologia gay", que desafia as interpretações tradicionais da Bíblia.

"Eu estou certo que existiam fariseus na Galácia muito chateados com o que Paulo dizia, porque ele foi além do que eles sabiam sobre Deus", disse o bispo ao site Christian Today. "Isto é o que chamamos de 'teologia gay’. Não se trata de ser gay. Se trata de questionar e consultar o que nós pensamos em relação às nossas tradições religiosas."

"Se as pessoas estão ofendidas pelo que este poema diz, elas deveriam pesquisar no Google sobre a ‘teologia gay’ e fazer um pouco de leitura", acrescentou o religioso.

Lógica 'ilógica'

Indo contra as afirmações infundamentadas de Wilson, o teólogo Ian Paul, professor da Universidade de Nottingham, afirma que a ideia de que o poema é semelhante ao escritos de Paulo completamente “inadmissível”. “Acho que isso mostra o quão pouco Alan Wilson entende do Novo Testamento, e quão inconsciente de suas próprias suposições ele é.”

"A lógica de Wilson parece ser a seguinte: o Novo Testamento foi chocante, o poema é chocante; portanto, este poema é como o Novo Testamento. Eu suspeito que a maioria das crianças do primário seriam capazes de detectar a falha nessa lógica. Novamente, levanto outra questão: não há nada que um bispo possa dizer antes de ser responsabilizado? É trágico que Wilson esteja fazendo tão pouco para ouvir as opiniões dos outros, e não tenha medo de ofender a muitos em sua própria igreja”, disse o teólogo.

"A teologia gay não é apenas outra maneira de interpretar o Novo Testamento. Assim como acontece com diversas abordagens atuais, esta é mais uma abordagem ideológica dos textos bíblicos, que assume sua própria perspectiva e controla os textos em questão, deslocando a capacidade do Nova Testamento em fazer qualquer pergunta a nós”, acrescentou Paul.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame