Mãe usa forças para resgatar filho de desabamento de igreja: “Cavei com as próprias mãos”

Usando a força dos braços, Vera conseguiu salvar Fernando, de apenas 2 anos, mas precisou aguardar a chegada dos bombeiros para ver o filho Davi, 5, ser removido do local com vida.

Fonte: Guiame, com informações de Diário do Grande ABCAtualizado: sexta-feira, 17 de junho de 2016 15:32
Vera Lúcia de Lima Jesus, 37, se desesperou ao ver dois de seus quatro filhos soterrados pelos escombros. (Foto: Claudinei Plaza/DGABC)
Vera Lúcia de Lima Jesus, 37, se desesperou ao ver dois de seus quatro filhos soterrados pelos escombros. (Foto: Claudinei Plaza/DGABC)

O desabamento da igreja sobre sete pessoas, incluindo uma vítima fatal, trouxe momentos de dor e desespero para os fiéis da Assembleia de Deus Madureira – campo do Taboão, em Diadema, nesta quarta-feira (15).

“Só pensei que precisava tirar meus filhos debaixo dos escombros. Por isso, comecei a cavar com as próprias mãos”, disse Vera Lúcia de Lima Jesus, de 37 anos, ao relatar o desespero de ver dois de seus quatro filhos soterrados pelos escombros.

Usando a força dos braços, Vera conseguiu salvar Fernando, de apenas 2 anos, mas precisou aguardar a chegada dos bombeiros para ver o filho Davi, 5, ser removido do local com vida.

“Continuei a revirar o entulho e a chamar pelo Davi”, disse a mãe, que contou com a ajuda de vizinhos e conhecidos para o resgate. Depois da ação dos bombeiros, a criança passou a noite em observação no Quarteirão da Saúde devido a pancada na cabeça.

Quando tudo aconteceu, Vera conta que participava de campanha de oração dentro do templo. “Foi tudo muito rápido. Só consegui pensar nos meus filhos”, disse ela.

Para Wilton Doia, tio dos meninos, Vera foi uma leoa. “Não mediu esforços para salvar as crianças”, disse ele. Vera também reconhece que sentiu força sobre-humana durante o resgate dos filhos. “São nessas horas que uma mãe se torna uma heroína. E hoje eu fui uma.”

Ter saído do acidente com vida foi considerado um “livramento de Deus” para a dona de casa Samara Pereira Alves, de 32 anos. “Estava no palco fazendo orações e ouvi o estalo. Quando percebi, a fumaça já havia tomado conta do salão. Fui me guiando pela parede até a saída”.

O filho de Samara, Willian Wallace Alves Santos, de 13 anos, estava na cantina da igreja com o amigo Adão Lucas, 18 — espaço localizado ao lado do salão onde ocorreu o desabamento. “Escutei o barulho e já vi a fumaça subir. Lembrei da minha mãe na hora e, quando fui ao encontro dela, ela estava saindo pela porta”, disse emocionado.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame