Lázaro Barbosa é morto em confronto ao resistir à prisão, diz diretor da ABIN

O criminoso tinha uma extensa ficha criminal, fugiu três vezes da prisão e foi acusado de diversos crimes desde 2007.

Fonte: GuiameAtualizado: segunda-feira, 28 de junho de 2021 13:32
Lázaro é preso em Goiás. (Foto: Henrique Ramos/TV Anhanguera)
Lázaro é preso em Goiás. (Foto: Henrique Ramos/TV Anhanguera)

O diretor da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), Alexandre Ramagem, confirmou a morte de Lázaro Barbosa de Sousa, morto em confronto ao resistir à prisão. O criminoso tinha uma extensa ficha criminal, fugiu três vezes da prisão e foi acusado de diversos crimes desde 2007.

“Parabéns à PM/GO e demais forças pelo sucesso nas diligências de localização e todo esforço na captura. Planejamento, cooperação e inteligência encerraram a reincidência de crimes hediondos e mais tragédias a outras possíveis famílias. Nossos sinceros sentimentos pelas vítimas”, disse Ramagem no Twitter.

“Busca-se sempre a estruturação de políticas eficientes e competentes, mas sabendo ser impossível a proteção constante e permanente de todos. O cidadão deve ter meios para defesa legítima de sua família.Desarmamento demonstrou ser um desastre como política nacional de segurança”, o diretor da ABIN acrescentou.

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, havia anunciado na manhã desta segunda-feira (28) a prisão de Lázaro, após 20 dias de buscas.

“Acabo de receber a informação de todas as forças de segurança que estão ali na região de Cocalzinho que o Lázaro foi preso. Cumprimentar a todos aqueles que estão ali há vários dias trocando informações e chegando a esse resultado final, a prisão do Lázaro”, disse Caiado em um vídeo ao noticiar a prisão. 

Lázaro era suspeito de matar uma família em Ceilândia (DF) e de outros crimes em Goiás. As buscas por ele começaram no dia 9 de junho, quando a polícia encontrou os corpos do pai e dois filhos em uma chácara. A mãe estava desaparecida, mas foi encontrada sem vida mais tarde, em um córrego próximo à residência. 

Enquanto as buscas estavam em andamento, Lázaro invadiu outra chácara em Ceilândia na sexta-feira (11), fez o caseiro refém e roubou um veículo, que usou para dirigir até Cocalzinho de Goiás (GO). Chegando lá, incendiou o carro. 

Em Goiás, o suspeito invadiu outra chácara, fez um caseiro refém e o obrigou a cozinhar. Em seguida, invadiu outra residência e baleou três homens, que ficaram em estado grave. No fim da noite, ateou fogo em outra chácara. 

Mais de 200 policiais foram mobilizados na cidade de Cocalzinho para encontrar Lázaro. No domingo (13), o suspeito roubou um carro, que mais tarde foi encontrado às margens da BR-070, próximo a Edilândia (GO).

Na terça-feira (15), outra família foi feita refém por Lázaro. No dia seguinte, a polícia divulgou vídeo do momento em que as vítimas são soltas. Na ocasião, houve troca de tiros e um policial ficou ferido de raspão na cabeça.

 

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame