Jovens invadem igreja e destroem cruz durante protesto violento, no Chile

Ao final de um protesto, manifestantes mascarados entraram em uma igreja no centro de Santiago e destruíram a cruz 3 de metros de altura, com uma estátua de Jesus Cristo.

Fonte: Guiame, com informações do Christian TodayAtualizado: domingo, 12 de junho de 2016 12:00
Ao final da marcha, da última quinta-feira, manifestantes mascarados entraram em uma igreja no centro de Santiago e destruíram a cruz 3 de metros de altura, com uma estátua de Jesus Cristo. (Foto: Reuters)
Ao final da marcha, da última quinta-feira, manifestantes mascarados entraram em uma igreja no centro de Santiago e destruíram a cruz 3 de metros de altura, com uma estátua de Jesus Cristo. (Foto: Reuters)

Uma marcha estudantil, realizada na capital do Chile, na última quinta-feira (9) terminou com confrontos violentos com a polícia e o ataque uma igreja católica, enquanto a radicalização do movimento estudantil do país tem se intensificado.

Estudantes universitários e do ensino médio no Chile estão cada vez mais desiludidos com o governo de esquerda da presidente Michelle Bachelet.

Eles acusam Bachelet de renegar uma série de promessas a respeito de reformas sociais e econômicas, além de expressarem sua revolta com o fracasso do governo em concluir uma revisão educacional planejada, que foi diluída devido a restrições orçamentais. O grupo prometeu mais protestos.

Ao final da marcha, da última quinta-feira, manifestantes mascarados entraram em uma igreja no centro de Santiago e destruíram a cruz 3 de metros de altura, com uma estátua de Jesus Cristo.

Gabriel Iturra, porta-voz da associação de estudantes 'CONFECH', disse que o ato foi "inadequado e cometido por um grupo marginalizado, com pouca compreensão dos princípios do movimento".

O Ministro do Interior do Chile Mario Fernandez, que assumiu o cargo na última quarta-feira, depois que o ministro anterior renunciou, também condenou a destruição da estátua.

"O que acabamos de ver é um sintoma muito preocupante do que algumas pessoas estão começando a fazer contra o nosso país", disse ele a repórteres.

Protestos estudantis também foram frequentes durante o último governo de centro-direita de Sebastián Piñera, terminando muitas vezes em confrontos com a polícia. Os protestos têm aumentado nas últimas semanas, acumulando pressão política sobre o governo de Bachelet.

No último mês, os estudantes fizeram um protesto dentro palácio presidencial do país, além de ocuparem e paralisaram dezenas de universidades e escolas de ensino médio em todo o país.

Siga-nos

Mais do Guiame