Joe Biden pretende voltar a financiar o aborto com dinheiro público nos EUA

Em uma página de seu site oficial, o democrata confirma que irá reverter a decisão tomada anteriormente no governo Trump sobre o financiamento das clínicas de aborto.

Fonte: Guiame, com informações do Christian PostAtualizado: quarta-feira, 2 de dezembro de 2020 14:27
O democrata Joe Biden pretende retomar o financiamento federal para redes de clínicas de aborto nos EUA. (Foto: Biden for President/Adam Schultz)
O democrata Joe Biden pretende retomar o financiamento federal para redes de clínicas de aborto nos EUA. (Foto: Biden for President/Adam Schultz)

Visando sua tomada de posse da presidência dos Estados Unidos em 2021, o democrata Joe Biden deixou claro em seu site oficial que pretende reverter a decisão tomada anteriormente no governo Trump com relação ao financiamento federal para a rede de clínicas de aborto, Planned Parenthood.

Enquanto o governo Trump cancelou o financiamento federal para a organização, após o envolvimento da Planned Parentood no escândalo de venda ilegal de tecidos e partes do corpo de bebês abortados para laboratórios, Biden pretende retornar com a destinação dessa verba pública à rede de clínicas de aborto, segundo afirma o seu site oficial na seção ‘Womens Agenda’ (‘Agenda para Mulheres’).

“Restaurar o financiamento federal para a ‘Planned Parenthood’. A administração Obama-Biden lutou contra os ataques republicanos ao financiamento da Planned Parenthood’ repetidas vezes”, diz um trecho da página do site.

“Como presidente, Biden vai reeditar orientações especificando que os estados não podem recusar financiamento do Medicaid para a Planned Parenthood e outros provedores e reverter a regra da administração Trump que impede essas organizações de obter fundos do Título X”, acrescentou.

O Título X é um programa que faz parte do Ato do Serviço de Pública, decretado pelo presidente Richard Nixon em 1970, com o objetivo de fornecer aos cidadãos americanos de baixa renda ou pessoas sem plano de saúde, que de outra forma, não teriam acesso a serviços planejamento familiar e de saúde preventiva relacionados a isso.

Promessa de campanha

Já em sua campanha eleitoral em 2020, o democrata expôs seu plano de de retornar com o financiamento federal da Planned Parenthood e outras provedoras de aborto, considerando que grande parte de seus eleitores concordam com a realização de abortos, conforme prevê a decisão Roe v. Wade, que considera justificável o procedimento quando “o feto não é mais viável”.

“Não posso justificar deixar milhões de mulheres sem acesso aos cuidados de que precisam e a capacidade de exercer seu direito constitucionalmente protegido”, disse Biden durante um discurso em Atlanta, no mês de junho, segundo o Reuters.

Escândalos

A retirada do financiamento público para a Planned Parenthood foi decidida pelo governo Trump após inúmeros protestos de organizações pró-vida contra a rede de clínicas de aborto, devido à denúncia de um escândalo de venda ilegal de partes de corpos de bebês abortados, em julho de 2015.

Em vídeos feitos por um ativista pró-vida infiltrado, a diretora Médica da Planned Parenthood Pasadena e San Gabriel Valley, na Califórnia, Mary Gatter é vista negociando o preço de partes de corpos com a suposta empresa interessada (fictícia).

A denúncia levou inúmeras organizações pró-vida a protestarem contra o financiamento federal para a rede abortista.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame