Idosa de 79 anos copia Bíblia à mão: “Quando estou escrevendo, estou aprendendo”

Maria Petrina resolveu não apenas ler, mas copiar as Escrituras na íntegra. A ideia a ajudou a superar o luto pela morte do marido.

Fonte: Guiame, com informações das Notícias AdventistasAtualizado: quarta-feira, 19 de agosto de 2020 12:27
Maria Petrina exibe um dos cadernos com cópias da Bíblia. (Foto: Reprodução)
Maria Petrina exibe um dos cadernos com cópias da Bíblia. (Foto: Reprodução)

Quando perdeu seu esposo em 2014, Maria Petrina Gomes, de 79 anos, encontrou forças na Bíblia para superar o luto. A moradora da cidade de Itabuna, sul da Bahia, decidiu não apenas ler, mas também copiar as Escrituras à mão.

“Eu pensei: ‘Olha, vou escrever. Vou transcrever a Bíblia. Não vou fazer com minhas próprias palavras, vou copiar mesmo’”, disse Maria ao site Notícias Adventistas.

Todas as semanas, Maria separa algumas horas em sua rotina para copiar os versículos. Ela já alcançou o livro de Daniel, no Antigo Testamento, e o livro de Lucas, no Novo Testamento.

“Para mim é uma coisa boa, porque tanto estou escrevendo como estou aprendendo. É muito bom porque tenho esse contato maravilhoso com a Palavra do Senhor”, afirma a idosa, que chegou a encadernar os trechos transcritos em três volumes.

A dedicação de Maria à Bíblia tem inspirado sua família. “Para onde ela viaja, a mala pode estar abarrotada, mas ela encontra um jeitinho de levar a Bíblia dela, na versão Linguagem de Hoje, com as folhas de papel e as canetas”, conta a neta, Aryedna. 

“Onde ela estiver, ela para um tempinho, nem que seja para escrever cinco versículos, mas ela para. Acho isso lindo. Às vezes, ela recita e compartilha com a gente as lições que acabou de aprender com a leitura”, acrescenta a neta.


Caderno de Maria Petrina com trechos do Salmo 23. (Foto: Arquivo pessoal)

Além de se aprofundar no conhecimento de Deus, Maria diz que o hábito de escrever a ajudou a relembrar sua época de estudante. 

“Estou perto dos 80. Quando vai chegando a idade, podia ser que eu deixasse de escrever e fosse perdendo aquela coisa bonita, aquela facilidade, mas graças a Deus minha caligrafia continua bonita”, conta a idosa animada. 

Maria ainda destaca: “Para mim, a melhor coisa da vida é escrever a Palavra do Senhor. Me sinto realizada”.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame