Grupo faz oração em frente a hospital por bombeiro ferido em grave acidente

O tombamento de um guindaste provocou a morte de um cabo e feriu gravemente o outro militar.

Fonte: Guiame, com informações do G1Atualizado: quinta-feira, 23 de setembro de 2021 12:22
Oração em frente ao HC-UE de Ribeirão Preto, onde cabo dos bombeiros está internado após acidente com guindaste. (Foto: Redes Sociais)
Oração em frente ao HC-UE de Ribeirão Preto, onde cabo dos bombeiros está internado após acidente com guindaste. (Foto: Redes Sociais)

Um grupo se reuniu na noite desta terça-feira (21) em frente à Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas (HC-UE) de Ribeirão Preto (SP) para orar pelo cabo do Corpo de Bombeiros Wallace Lima Valesi, ferido após tombamento de um guindaste durante a poda de um eucalipto em um condomínio de Jardinópolis (SP) na segunda-feira (20).

No grupo estão membros da corporação, amigos e familiares do cabo, que foi socorrido e levado em estado grave ao hospital. Nesta tarde, ele passou por cirurgia.

O acidente matou o cabo Gustavo Roberto Ciampaglia, de 43 anos, que foi velado e sepultado nesta terça-feira após o corpo ser levado ao cemitério em Bonfim Paulista por um cortejo com viaturas do Corpo de Bombeiros.

A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar as causas do acidente e o laudo deve ficar pronto em 15 dias.

Testemunhas devem ser ouvidas no inquérito nos próximos dias. O boletim de ocorrência foi registrado como morte suspeita.

O acidente

Os bombeiros estavam de folga e realizavam o serviço dentro de um condomínio de casas às margens da Rodovia Anhanguera (SP-330) em Jardinópolis.

Guindaste tombado dentro de condomínio onde aconteceu acidente com bombeiros em Jardinópolis, SP. (Foto: Redes Sociais)

Eles caíram de uma altura de aproximadamente 20 metros.

Segundo a advogada Jackeline Polin Andrade, que representa a empresa DP Guindastes, o operador da máquina suspeita que o peso de um eucalipto que estava sendo podado tenha superado a capacidade do equipamento, ocasionando o tombamento.

A advogada ressaltou, no entanto, que é necessário aguardar o resultado da perícia para afirmar com certeza o que causou o acidente.

Corporação lamenta morte

Em nota, o 9º Grupamento do Corpo de Bombeiros, lamentou a morte de Ciampaglia, que atuava há 13 anos pelo grupo. Ao todo, ele dedicou 23 anos à corporação. Ele era casado e pai de três filhas.

O cabo acumulou 23 anos de serviços prestados ao Corpo de Bombeiros e deixa esposa e três filhas.

Siga-nos

Mais do Guiame