Existe o lado pacífico do islamismo? Veja alguns trechos do Alcorão e observe

O avanço do extremismo islâmico – respaldado pelo Alcorão – não nega as vertentes de violência que regem a crença. Veja alguns trechos do Alcorão, e observe.

Fonte: Guiame, com informações de IntellectusAtualizado: terça-feira, 31 de março de 2015 19:59
Alcorão, o livro sagrado dos muçulmanos. (Reprodução/ História do Mundo)
Alcorão, o livro sagrado dos muçulmanos. (Reprodução/ História do Mundo)

 

Ainda que muitos adeptos à religião islâmica a defendam como uma filosofia pacífica, o avanço do extremismo islâmico – respaldado pelo Alcorão – não nega as vertentes de violência que regem a crença.

No início do ano, o presidente americano Barack Obama fez uma comparação entre a violência do islamismo extremo e do cristianismo nos tempos de inquisição – “Durante as Cruzadas e a Inquisição, as pessoas cometeram atos terríveis em nome de Cristo”. Declarações como a de Obama, deixam no ar uma dúvida: será que o islamismo, em sua essência, é uma religião pacífica?

Veja alguns trechos do Alcorão, e observe.

“Ó fiéis, não tomeis por amigos os judeus nem os cristãos; que sejam amigos entre si. Porém, quem dentre vós os tomar por amigos, certamente será um deles; e Alá não encaminha os iníquos.
Alcorão, Surata 5,51

"Matai-os onde quer se os encontreis e expulsai-os de onde vos expulsaram, porque a perseguição é mais grave do que o homicídio. Não os combatais nas cercanias da Mesquita Sagrada, a menos que vos ataquem. Mas, se ali vos combaterem, matai-os. Tal será o castigo dos incrédulos."
Alcorão, Surata 2,191

"E combatei-os até terminar a perseguição e prevalecer a religião de Alá. Porém, se desistirem, não haverá mais hostilidades, senão contra os iníquos."
Alcorão, Surata 2,193

"Anseiam (os hipócritas) que renegueis, como renegaram eles, para que sejais todos iguais. Não tomeis a nenhum deles por confidente, até que tenham migrado pela causa de Alá. Porém, se rebelarem, capturai-os então, matai-os, onde quer que os acheis, e não tomeis a nenhum deles por confidente nem por socorredor."
Alcorão, Surata 9,89

"O castigo, para aqueles que lutam contra Alá e contra o seu mensageiro e semeiam a corrupção na terra, é que sejam mortos, ou crucificados, ou lhes seja decepada a mão e o pé opostos, ou banidos. Tal será, para eles, um aviltamento nesse mundo e, no outro, sofrerão um severo castigo."
Alcorão, Surata 5,33

"E quem quer que almeje (impingir) outra religião, que não seja o Islã, jamais será aceito e, no outro mundo, essa pessoa contar-se-á entre os desventurados."
Alcorão, Surata 3,85 

"Ó adeptos do Livro, não exagereis em vossa religião e não digais de Deus senão a verdade. O Messias, Jesus, filho de Maria, foi tão-somente um mensageiro de Deus e Seu Verbo, com o qual Ele agraciou Maria por intermédio do Seu Espírito. Crede, pois, em Deus e em Seus mensageiros e digais: Trindade! Abstende-vos disso, que será melhor para vós; sabei que Deus é Uno. Glorificado seja! Longe está a hipótese de ter tido um filho. A Ele pertence tudo quanto há nos céus e na terra, e Deus é mais do que suficiente Guardião."
Alcorão, Surata 4,171

 

 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame