Especialistas iniciam reforma do 'túmulo de Jesus Cristo', em Israel

A última vez que qualquer trabalho de restauração foi feito no édicule, foi em 1810, após um incêndio, ocorrido em 1808 e que quase destruiu parte do local.

Fonte: Guiame, com informações do Christian PostAtualizado: quarta-feira, 8 de junho de 2016 16:14
Local onde acredita-se que Jesus Cristo foi sepultado após sua crucificação, o 'Santo Sepulcro' é visitado por milhares de pessoas diariamente. (Foto: Reuters)
Local onde acredita-se que Jesus Cristo foi sepultado após sua crucificação, o 'Santo Sepulcro' é visitado por milhares de pessoas diariamente. (Foto: Reuters)

Uma equipe de restauradores finalmente começou a trabalhar na reforma do local onde se acredita que Jesus Cristo ter sido sepultado após sua crucificação.

Nove especialistas gregos foram incumbidos de preservar, restaurar e reforçar a édicule - câmara que abriga o túmulo onde Jesus foi teria sido colocado antes de ressuscitar - que está localizado no Santo Sepulcro de Jerusalém.

A Associated Press relata que o trabalho de restauração começou na segunda-feira e marca a primeira vez em dois séculos que o local sagrado foi restaurado.

A última vez que qualquer trabalho de restauração foi feito no édicule, foi em 1810, após um incêndio, ocorrido em 1808 e que quase destruiu parte do local.

O projeto, que levará cerca de oito a 12 meses, irá reforçar a estrutura, substituindo a argamassa e reforçando as colunas do santuário. Alguns dos trabalhos serão feitos durante as primeiras horas da manhã e à noite, enquanto o local permanecerá aberto para visitação.

O projeto se iniciou após uma série de desentendimentos entre a igreja católica romana, igrejas armênias e ortodoxas gregas terem atrasado a restauração, que já havia sido solicitada. A tensão entre as denominações chegou a um ponto de ebulição em 2008, quando uma discussão entre os líderes ortodoxos gregos e monges armênios terminou em uma briga.

Depois que a Autoridade de Antiguidades de Israel considerou o edifício inseguro e o local foi brevemente fechado pela polícia no ano passado, as três denominações foram 'forçadas' a ignorar as suas diferenças para que a restauração retomasse o andamento para o início das obras.

"Nós igualmente decidimos que a reforma era necessária, por isso, entramos em um acordo", disse o Rev. Samuel Aghoyan, oficial armênio da igreja.

De acordo com o patriarca ortodoxo grego de Jerusalém, Theophilos III, o projeto de renovação vai custar mais de US $ 3 milhões, com todas as três denominações que contribuem para o esforço.

De acordo com a AP, o rei da Jordânia Abdullah também fez uma doação pessoal, enquanto o seu país continua a desempenhar um papel, ajudando a preservar, tantos os locais considerados sagrados para cristãos, quanto os para muçulmanos.

A agência de notícias, 'AP' relatou que os especialistas que estão trabalhando no édicule têm feito um trabalho semelhante em outras estruturas antigas, como a Acrópole em Atenas, Grécia e muitas igrejas bizantinas históricos no Mediterrâneo.

Antonia Moropoulou, coordenadora do projeto e uma dos arquitetas da Universidade Técnica Nacional de Atenas, disse à AP que mesmo que o túmulo é estável, ele sofreu muitos danos após muitos anos de exposição à água, umidade e fumaça das velas. Ela também disse que a estrutura precisa ser protegida de qualquer dano possível que poderia ocorrer a partir de um terremoto.

"Os mármore e pedra lajes têm desenvolvido deformações, devido às tensões", Moropoulou explicou.

Com Moropoulou e seus colegas trabalhando em um local considerado sagrado, ela afirmou que eles não estão subestimando suas responsabilidades.

"Ninguém inveja esta responsabilidade e este desafio", disse ela. "Porque, é um desafio trabalhar aqui neste ambiente enquanto o monumento está aberta para visitação por milhares de pessoas".

 

Siga-nos

Mais do Guiame