Em dia de jejum, Bolsonaro se ajoelha para receber oração em Brasília

De joelhos, o presidente Jair Bolsonaro recebeu orações e declarou que se uniu aos cristãos no jejum.

fonte: Guiame

Atualizado: Domingo, 5 Abril de 2020 as 7:55

Jair Bolsonaro recebe orações em frente ao Palácio da Alvorada. (Foto: Divulgação)
Jair Bolsonaro recebe orações em frente ao Palácio da Alvorada. (Foto: Divulgação)

O presidente Jair Bolsonaro recebeu orações de pastores neste domingo (5) do lado de fora do Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente da República. O dia é marcado pelo jejum que foi proclamado por ele na última quinta-feira (2).

Dirigindo-se ao grupo, Bolsonaro disse que também se uniu aos cristãos no jejum. “É muito fácil acreditar em Deus, basta querer descobrir de onde veio. Nós viemos do Espírito Santo, vamos voltar para esse lugar um dia, mas temos que voltar com a ficha limpa”, disse o presidente.

“A minha missão aqui, o pessoal deve saber, é fazer o melhor para o País. Semana passada eu fui massacrado pela mídia por ter ido a Taguatinga (região administrativa do DF), como se um general não pudesse estar no meio dos soldados”, acrescentou.

Na ocasião, pastores reforçaram que Bolsonaro foi escolhido por Deus para governar a nação brasileira e oraram por ele.

“O senhor tem se posicionado na brecha de Deus para trazer ao Brasil uma nova esperança. Estamos orando pelo senhor. Duzentos milhões estão ao seu lado, o restante é que está contra. Mas não importa quem esteja ao seu lado ou contra o senhor, porque foi Deus quem o instituiu presidente do Brasil”, disse um dos pastores.

“Deus está prometendo que o poder Dele vai crescer na sua vida, dando sabedoria e unção para governar e dirigir os rumos desta nação”, declarou outro pastor.

Mais cedo, um grupo da Comunidade Evangélica Projeto de Deus, de Ceilândia (DF) fez uma oração em frente ao Palácio da Alvorada. Eles vestiam roupas com estampas verde e amarelo e se comprometeram a jejuar até o meio-dia. 

“Se eles errarem e perecerem, nós também iremos perecer. Se eles tomarem a decisão certa, nós seremos abençoados”, disse a pastora Ramiria Soares do Amaral Susstrunk sobre as autoridades políticas.

veja também