Ed René Kivitz escreve sobre a redução da maioridade penal e explica seu ponto de vista: "Sou contra"

"Não confundo justiça com vingança. Não sou adepto da filosofia 'olho por olho, dente por dente'"

Fonte: GuiameAtualizado: quinta-feira, 9 de abril de 2015 17:52
Maioridade penal _ prisão
Maioridade penal _ prisão

No dia 31 de março de 2015, a PEC 171/93, que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos, foi aprovada na Comissão de constituição e Justiça (CCJ).

Alguns líderes e organizações evangélicas já se posicionaram contra a redução, todos expondo seu ponto de vista e comentando possíveis consequências da aprovação.

Nesta semana, Ed René Kivitz também fez uso do Facebook para escrever sobre o assunto e declarar: "Sou contra a redução da maioridade penal". No texto, o pastor avisa que seu posicionamento nada tem a ver com ele ser cristão e pastor evangélico. "Reconheço não apenas o direito como também a inteligência de tantos outros cristãos que defendem com bons argumentos opiniões contrárias à minha", acrescenta.

Em seguida, Ed René lista algumas razões para ser contra a PEC 171/93: "Sou contra a redução da maioridade penal porque não acredito que tal decisão implicará a redução da criminalidade e da violência em nosso país."

O fato de entender que o sistema carcerário e as penitenciárias são como que 'escolas de crimes' também faz com que o pastor desacredite da eficiência da aprovação da redução.

Ed René cita o aliciamento de menores por crimes organizados, justamente porque eles recebem julgamento diferenciado. Segundo ele, a redução não vai funcionar, só vai fazer com que os adolescentes de 15 e 14 anos passem a ser alvo desses grupos.

"Sou contra a redução da maioridade penal porque sou a favor de um monumental esforço sistêmico de resgate de milhares de jovens e adolescentes brasileiros, principalmente das futuras gerações, cujos horizontes de possibilidades e oportunidades se limitam à sobrevivência indigna", exclama.

Para concluir, o pastor afirma: "Sou contra a redução da maioridade penal porque não confundo justiça com vingança. Não sou adepto da filosofia “olho por olho, dente por dente” nem mesmo para criminosos adultos, quanto mais para adolescentes e jovens."

 

Siga-nos

Mais do Guiame