Destruição de Sodoma e mulher como estátua de sal conquistam audiência de Gênesis; assista

A novela Gênesis exibiu cenas da destruição de Sodoma e da mulher de Ló sendo transformada em estátua de sal.

Fonte: Guiame, com informações do Observatório da TV e R7Atualizado: quarta-feira, 26 de maio de 2021 14:48

A cena de destruição de Sodoma e Gomorra foi exibida nesta terça-feira (26) pela Record TV na novela Gênesis. Com base no relato bíblico, as duas cidades foram destruídas por Deus com fogo e enxofre caídos do céu, por causa de seus pecados.

Outra cena inédita nesta terça foi a transformação da esposa de Ló em uma estátua de sal. Depois que Ló (Emílio Orciollo Neto) e sua família foram alertados por dois anjos enviados por Deus, receberam a instrução de não olhar para trás — o que não foi obedecido por Ayla (Elisa Pinheiro).

Gênesis é a novela bíblica mais assistida na Record desde 2016, quando a Record exibiu “A Terra Prometida”. O atual folhetim mantém a vice-liderança de audiências no Brasil, de acordo com a medição do Kantar Ibope Media.

Segundo o Atlas de Cobertura da Record TV 2021, a novela já foi assistida, ao menos durante um minuto, por 111 milhões e 852 mil telespectadores, o que é equivalente a 50 milhões e 620 mil lares espalhados pelo País.

Há provas da destruição de Sodoma?

No site da novela Gênesis, a Record TV apresenta evidências históricas da destruição de Sodoma e Gomorra. Uma delas foi encontrada pelo arqueólogo Steven Collins, em 2005, que junto com a equipe de pesquisadores da Universidade Trinity Southwest, do Novo México, passou doze anos escavando a região do monte Tall el-Hammam, na Jordânia. 

Os pesquisadores localizaram os restos de uma gigantesca cidade que existiu ali por volta do período do Bronze, coincidindo com a época em que Sodoma foi destruída. Collins afirmou ainda que essa cidade havia sido misteriosamente evacuada e permaneceu sendo uma terra desolada por cerca de 700 anos.

Os arqueólogos encontraram também evidências de uma intensa conflagração que deixou a cidade em ruínas. Eles acharam fundações e pisos chamuscados enterrados, bem como dezenas de fragmentos de cerâmica cobertos por uma superfície espumosa “derretida”; o que indica que eles foram expostos a temperaturas bem acima de 2.000 graus Fahrenheit, o calor aproximado do magma vulcânico. 

O que a ciência diz sobre a Estátua de Sal? 

O gigantesco depósito de sal na região do Mar Morto, próxima à localidade da antiga cidade de Sodoma, chama a atenção de pesquisadores para a coincidência com o relato da mulher de Ló transformando-se em uma estátua de sal.

A concentração foi descoberta na maior caverna de sal do mundo, batizada de Malham, e se estende por 10 km. As estalactites salgadas, que são formações rochosas sedimentares, se originam no teto da caverna e algumas das paredes brilham com os cristais de sal. 

O local foi mapeado ao longo de dois anos por escavadores de nove países, liderados pela Universidade Hebraica de Jerusalém.

Siga-nos

Mais do Guiame