“A decisão do STF pode ser uma mudança que veio despertar a igreja”, diz pastor

Após a decisão do STF que resultou soltura do ex-presidente Lula, o pastor Hudson Medeiros, líder do movimento Brasil de Joelhos, incentivou a Igreja Brasileira a orar e agir.

fonte: Guiame

Atualizado: Segunda-feira, 11 Novembro de 2019 as 11:46

Manifestantes saíram às ruas em protesto contra decisão do STF. (Foto: Telmo Ferreira/Framephoto/Estadão Conteúdo)
Manifestantes saíram às ruas em protesto contra decisão do STF. (Foto: Telmo Ferreira/Framephoto/Estadão Conteúdo)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou a prisão na última sexta-feira (8) depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou a prisão após condenação em segunda instância.

Condenado em duas instâncias no caso do triplex, Lula teve o pedido de soltura aceito pelo juiz Danilo Pereira Júnior, da 12ª Vara Criminal Federal de Curitiba. Agora, ele terá o direito de recorrer em liberdade e só vai voltar a cumprir a pena após o trânsito em julgado.

Diante dos acontecimentos, o pastor Hudson Medeiros, líder do movimento Brasil de Joelhos, destacou os sentimentos de “tristeza, sensação de impunidade e desesperança” e incentivou a Igreja Brasileira a entender sua responsabilidade.

“Podemos ver que a situação veio como forma de juízo para Igreja Brasileira, da qual precisa se posicionar e não somente deixar a responsabilidade sobre alguns, os intercessores, e entender que a responsabilidade é do Corpo”, disse Medeiros nas redes sociais na última sexta.

“Há tempos o Senhor tem usado Seus profetas para alertar a Igreja a se posicionar, se sujeitar ao Senhor, e ficar nessa brecha, porém ela se distrai com tantas outras coisas, com suas particularidades e projetos individuais”, acrescentou.

“E hoje estamos vendo o resultado dessa postura descompromissada – na história de Israel e da Igreja sempre foi assim: como Nação sofremos o juízo para que venhamos nos arrepender, voltemos e nos sujeitemos ao Senhor, e assim possamos ser perdoados e redimidos”, observou o pastor.

Por outro lado, Medeiros acredita que esta mudança pode levar os cristãos brasileiros a orar e agir. “A decisão do STF pode ser vista também como uma mudança que veio para despertar a igreja e os brasileiros em geral, como cidadãos, para continuar a lutar pelo Brasil livre”, disse em outro post no sábado (9).


Lula deixou a prisão no fim da tarde desta sexta-feira (8), em Curitiba. (Foto: Giuliano Gomes/PR Press)

O pastor afirma que os cristãos não devem se acomodar “deixando a tarefa da mudança na mão do governo federal”, mas se posicionarem como cidadãos responsáveis.

“Na igreja não devemos deixar a tarefa de interceder só para os líderes e intercessores, mas esse é um motivo para arrependimento e mudança de mentalidade, afinal todos somos sacerdócio real e temos essa responsabilidade corporativa de orar pela libertação do Brasil”, destacou.

Ele também sugere que as igrejas façam um “tempo de oração pelo Brasil” em todas os cultos, além dos grupos já existentes, até o final deste ano. 

“A corrupção está no nosso povo, os líderes políticos só a refletem, precisamos de reuniões do povo de Deus em arrependimento em cada cidade brasileira pelo pecado da corrupção e mentira”, analisa. “Que em cada igreja local uma iniciativa de cidadania seja manifesta para integridade, como uma expressão da cultura do Reino de Deus, para influenciar às cidades em todas as áreas da vida. Veja o que tem para contribuir e levante a cultura de integridade”.

veja também