Daniel Dias se despede das Paralimpíadas glorificando a Deus: "Ele fez infinitamente mais”

O nadador Daniel Dias encerra sua carreira com 27 medalhas em Paralimpíadas e 33 medalhas em Parapans.

Fonte: Guiame, com informações do Globo EsporteAtualizado: quarta-feira, 1 de setembro de 2021 14:07
Daniel Dias tem 27 medalhas em Paralimpíadas e 33 medalhas em Parapans. (Foto: Alê Cabral/ CPB)
Daniel Dias tem 27 medalhas em Paralimpíadas e 33 medalhas em Parapans. (Foto: Alê Cabral/ CPB)

Daniel Dias, o maior atleta paralímpico do Brasil, encerrou sua carreira esportiva nesta quarta-feira (1) glorificando a Deus, após conquistar a 4ª posição na prova dos 50m livres da classe S5.

“Acabou, mas estou feliz! Só tenho que agradecer a Deus pelo dom que me deu. Louvado seja o nome Dele”, disse Daniel, em lágrimas, em entrevista à SporTV após a prova.

“Deus fez infinitamente mais do que eu pedi ou pensei. Se eu escrevesse isso não seria tão perfeito como foi. Não é choro de tristeza, estou muito feliz. Mas é uma vida dedicada a isso aqui”, acrescentou o atleta, emocionado.

Aos 33 anos, Daniel Dias é o maior medalhista brasileiro em Paralimpíadas, com 27 medalhas em quatro edições dos Jogos. Em Parapans, o nadador tem 33 medalhas, todas de ouro. Ele é ainda o único brasileiro a ganhar três prêmios Laureus, considerado o Oscar do esporte (2009, 2013 e 2016).

Nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, o nadador encerrou sua participação com três medalhas de bronze nos 100m e 200m livre S5 e no revezamento misto 4x50m livre 20 pontos. 

A história de Daniel na natação também é marcada por diversos recordes mundiais ao longo dos anos, dos quais ainda continua sendo dono de três: 200m peito SB4 (3min21s36), 100m costas S5 (1min16s24) e 100m borboleta S5 (1min17s79).

“As conquistas desaparecem, o amor de Cristo não”

Por causa da deficiência física, Daniel teve uma infância difícil, até que encontrou um propósito na natação.

"Era a maneira de Deus me dizer: ‘Este é o seu dom. Use-o para falar de mim'", contou Daniel, em depoimento no filme “Luta e Triunfo", produção da organização esportiva internacional cristã Atletas em Ação.

Quando Daniel decidiu ter um relacionamento sincero com Cristo, tudo mudou. "Ele me mostrou várias coisas, e eu pude entender que eu sou a vontade de Deus e que Ele entregou seu único filho para morrer no meu lugar. Quando entendi isso, entendi o amor de Pai", disse.

O atleta explicou que a cada competição na qual conquistava medalhas, entendia mais sobre o propósito de Deus em sua vida.

"Estou começando a entender por que Deus me fez assim. Mas o principal é servi-Lo. E viver minha vida como um seguidor de Cristo. Todas essas conquistas vão desaparecer, mas o amor de Cristo nunca vai desaparecer", afirmou.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame