Vocalista da banda Skillet conta como tentaram persuadi-lo a “não falar tanto de Jesus”

“Preciso ser uma voz contra esse movimento”, disse John Cooper ao se referir ao atual ativismo contra o Cristianismo.

Fonte: Guiame, com informações de CBN NewsAtualizado: segunda-feira, 20 de setembro de 2021 13:08
John Cooper, vocalista da banda Skillet. (Foto: Divulgação)
John Cooper, vocalista da banda Skillet. (Foto: Divulgação)

O vocalista John Cooper, da banda Skillet, contou recentemente sobre uma época em que lhe disseram para “parar de falar de Jesus”, se realmente quisesse ter sucesso em sua carreira. 

Há dez anos, o conselho para afastar-se do cristianismo, porém, fez com que o artista se aproximasse ainda mais, incentivando as pessoas a defender a fé cristã e a verdade bíblica.

Durante uma entrevista ao Focus on the Family, Cooper revelou em detalhes sobre os conselhos dados por um empresário influente no meio musical.

“Parem de falar tanto sobre Jesus”

Cooper conta que, depois de um show que fazia parte de uma turnê, eles estavam conversando com empresários quando um deles o puxou de lado, para aconselhá-lo sobre o futuro da banda.

“Esse cara estava sendo muito legal e persuasivo até me dizer o seguinte: ‘John, quero dizer algo que ninguém mais teria coragem de dizer. Vocês poderiam ser a maior banda do mundo. Vocês têm a aparência. Vocês têm o som. Você tem garotas na sua banda”, começou.

Em seguida, o homem começou a alertar Cooper sobre sua fé cristã, que na opinião dele, estava impedindo o alcance da fama real. “Vocês cantam sobre coisas muito espirituais. Mas, chegou sua hora, você tem que se desassociar do Cristianismo e parar de falar tanto sobre Jesus”, disse o empresário a Cooper.


John Cooper disse que usa a música para glorificar a Deus e pregar o Evangelho. (Foto: Reprodução/Instagram)

“Eu sabia que não era a voz de Deus”

O empresário tentou persuadi-lo a não participar mais de entrevistas ou festivais cristãos. “Se as pessoas lhe perguntarem sobre o que fala a sua música, você não precisa mentir, apenas não fale tanto de Jesus”.

“E então ele disse outra coisa e foi isso que me despertou. Foi a parte mais interessante da conversa. Ele disse: John, pense no bem que você poderia fazer pela sua fé se ficasse rico e famoso. Pense sobre o que você poderia fazer por Jesus se você parasse de falar sobre Ele”, revelou.

Cooper disse que foi um momento crucial em sua carreira, e ele sabia que Deus o havia chamado para cantar sobre o Evangelho e compartilhar as Boas Novas. “A música pode transformar as pessoas”, disse em 2015, durante uma entrevista quando esteve no Brasil.

“Eu contei à minha esposa sobre aquela conversa. Oramos sobre isso. E a resposta foi quase instantânea. Eu sabia que aquela não era a voz do Senhor”, enfatizou Cooper.

“Preciso ser uma voz contra esse movimento”

E depois disso, o cantor explicou que houve uma mudança na maneira como as pessoas começaram a perceber a verdade. 

“E se esta vai ser a nova cultura ou a nova maneira como vão tentar conduzir os cristãos, com esse novo tipo de ativismo dentro do cristianismo, que  está vazio do verdadeiro Evangelho de Cristo, então eu preciso ser uma voz contra esse movimento”, disse.

Em seus 46 anos, Cooper falou sobre o livro que escreveu “Desperte e viva para a Verdade — Encontrando a verdade no caos de um mundo relativista”, que fala sobre sua jornada de fé.

Sobre o livro

“Escrevi este livro porque vivemos em uma cultura que se preocupa mais com o tom do que com a honestidade, mais com a emoção do que com o pensamento crítico e com a empatia do que a verdade”, explicou o cantor.

“Acredito que a verdade é revelada por Deus e somente por Ele. Se nada é absolutamente verdadeiro, então tudo pode ser visto como bom. Movimentos políticos e sociais estão criando uma opinião popular que, através das redes sociais e dos meios de comunicação, parecem ser algo virtuoso”, observou.

Após viajar pelo mundo por mais de 20 anos, o vocalista disse que percebeu um problema. “As pessoas estão desesperadamente confusas”, enfatizou ao dizer que há filosofias ditando nos dias de pós-modernismo, relativismo e a visão popular do homem. 

“Tudo isso é um tipo de afronta à Palavra de Deus”, continuou. Em seu livro, Cooper busca responder às perguntas mais frequentes da cultura moderna, através de seu testemunho e da autoridade das Escrituras. “Deus quer resgatá-lo do caos e das trevas e trazê-lo para Sua gloriosa luz”, concluiu.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame