Vila histórica é palco de confrontos na Síria

Vila cristã histórica é palco de confrontos na Síria

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:05

Vila histórica é palco de confrontos na Síria

Desde o dia 04/09, Maaloula - conhecida como uma vilã cristã histórica - tem sido um campo de batalhas entre rebeldes e tropas do governo. O local vinha sendo mantido sob comando do governo, até que um atentado suicida atingiu um dos postos de controle, na semana passada.
 
Segundo agências de notícias, partes do vilarejo têm sido ocupadas por cinco grupos armados. O exército havia recuperado o controle da região, mas a oposição iniciou mais uma ofensiva na quinta-feira da semana passada (05/09).
 
Maaloula é conhecida por ser um dois únicos lugares do mundo onde ainda se fala o aramaico (língua falada por Jesus Cristo). Antes da guerra, a vila recebia turistas do diversas partes do mundo, devido à suas igrejas, conventos e a famosa "garganta", escavada na montanha - a qual a tradição popular afirma ter surgido por um milagre, com a finalidade de proteger Técla, uma discípula do apóstolo Paulo, quando era perseguida.
 
Grupos rebeldes afirmaram que poupariam os templos em seus ataques, porém alguns relatos apontam que, pelo menos três igrejas já foram atingidas.
 
Além dos combatentes mortos, alguns civis morreram, incluindo cristãos. Ao longo da última semana, cerca de três mil moradores da vila — cristãos e muçulmanos — fugiram para regiões mais segura do país.
 
Entre tantos relatos / versões, chega a ser difícil saber sobre a veracidade de cada uma das informações. Um civil informou que rebeldes haviam roubado os cristãos. Já duas freiras, porém, declararam em um vídeo que elas estavam sendo bem-tratadas pelos rebeldes e, não haviam sido lesadas de forma alguma.
 
 
No dia 9 de setembro, as tropas sírias iniciaram uma nova ofensiva contra os rebeldes, que ainda detêm posições estratégicas nas montanhas que rodeiam a vila.
 
Os ataques têm despertado o medo entre os cristãos sírios que foram forçados a abandonar suas casas, bem como entre a comunidade cristã de todo o país, embora os ataques pareçam fazer parte de uma estratégia bélica, e não por se tratar de uma vila habitada por cristãos.
 
Com informações da Missão Portas Abertas
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame