Uma comunidade que faz a diferença

Uma comunidade que faz a diferença

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:05
evangelhoVamos começar conferindo um texto bíblico?
 
19 Os que tinham sido dispersos por causa da perseguição desencadeada com a morte de Estêvão chegaram até à Fenícia, Chipre e Antioquia, anunciando a mensagem apenas aos judeus. 20 Alguns deles, todavia, cipriotas e cireneus, foram a Antioquia e começaram a falar também aos gregos, contando-lhes as boas novas a respeito do Senhor Jesus. 21 A mão do Senhor estava com eles, e muitos creram e se converteram ao Senhor. 22 Notícias desse fato chegaram aos ouvidos da igreja em Jerusalém, e eles enviaram Barnabé a Antioquia. 23 Este, ali chegando e vendo a graça de Deus, ficou alegre e os animou a permanecerem fiéis ao Senhor, de todo o coração. 24 Ele era um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé; e muitas pessoas foram acrescentadas ao Senhor. 25 Então Barnabé foi a Tarso procurar Saulo 26 e, quando o encontrou, levou-o para Antioquia. Assim, durante um ano inteiro Barnabé e Saulo se reuniram com a igreja e ensinaram a muitos. Em Antioquia, os discípulos foram pela primeira vez chamados cristãos. (Atos 11: 19-25)
 
A historia nos revela que nem sempre a igreja teve vida fácil, houve períodos de perseguição, instabilidade, e muita apreensão. Em uma dessas circunstâncias, alguns cristãos de Jerusalém tiveram que abandonar suas casas, trabalhos, e sonhos, e fugir para lugares distantes como: Fenícia, Chipre e Antioquia. Você deve estar pensando: “Poxa, que complicado ter que deixar tudo e recomeçar do zero!” Sem dúvida, deve ter sido a maior “barra”. No entanto, o texto acima nos revela a disposição dessas pessoas em terra estranha, mais especificamente em Antioquia da Síria. Mesmo desalojados tendo que reconstruir a vida, não perderam tempo, passaram a pregar o evangelho a quem viam pela frente. Resultado: muitos creram, se converteram e uniram-se a eles na fé! 
 
Por conta disso, a notícia se espalhou rapidamente e chegou até os ouvidos dos apóstolos em Jerusalém, que também não perderam tempo e enviaram para lá um “cara” muito gente-boa chamado Barnabé. Quando este chegou a Antioquia e viu aquela comunidade cristã sedenta pelo evangelho, os encorajou a permanecerem firmes na fé. Depois de alguns dias viajou para a cidade de Tarso, que não era tão longe dali, para buscar Saulo a fim de que este o ajudasse em Antioquia. Não deu outra! Saulo foi com ele, e juntos iniciaram um projeto de discipulado com aqueles novos convertidos. Durante um ano inteiro eles se reuniram com a igreja para estudarem os princípios da fé cristã. Se você estiver se perguntado agora qual foi o resultado desse trabalho, a resposta é impactante: “Em Antioquia, os discípulos foram pela primeira vez chamados de cristãos."
 
Sabe o que isso significa? Significa que aquele grupo de pessoas que passaram pelo projeto de discipulado, desenvolvido por Barnabé e Saulo, foram identificadas com Cristo! Ou seja, os moradores de Antioquia viam Cristo na vida daqueles irmãos. Aquela igreja não era reconhecida na cidade pelo seu prédio com arquitetura faraônica, pelo seu coral com mais de cinqüenta vozes, ou por sua orquestra perfeitamente afinada. Era reconhecida por sua paixão e lealdade a Cristo. Jesus era o centro da vida e da fé daquelas pessoas! Aquela comunidade fazia a diferença!
 
Penso que as nossas congregações deveriam atentar um pouquinho mais para o exemplo deixado pela igreja de Antioquia. O que será que aconteceria com as nossas congregações se começássemos a disseminar o evangelho por toda parte da cidade, a todas as pessoas, sem distinção? O que será que aconteceria, se a exemplo do que aconteceu em Antioquia, deixássemos de nos preocupar tanto com a nossa vida e passássemos a dedicar mais tempo para anunciar o Reino de Deus aos nossos amigos e conhecidos não-crentes? Vou mais além: E se começássemos um projeto de discipulado semanal com um grupo de irmãos, assim como fizeram Barnabé e Saulo, a fim de estudar mais sobre a pessoa e obra de Cristo, será que não presenciaríamos grandes e profundas transformações em nossas vidas e em nossa comunidade? Pense nisso, e não perca tempo!
 
 
- Willian Robson de Souza
 
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame