Será que a árvore de Natal tem origem no paganismo? Teólogo responde biblicamente

Segundo André Sanchez, aqueles que satanizam a árvore de Natal deveriam também pesquisar a origem de todas as coisas que usam em seu dia a dia.

Fonte: Guiame, Cris BeloniAtualizado: quinta-feira, 2 de dezembro de 2021 12:56
Família montando árvore de Natal. (Foto: Jonathan Borba/Unsplash)
Família montando árvore de Natal. (Foto: Jonathan Borba/Unsplash)

Na última sexta-feira (26), o presbítero André Sanchez, do blog Esboçando Ideias, respondeu através de um vídeo em suas redes sociais à pergunta de uma leitora sobre a árvore de Natal

“Eu tenho costume de montar uma árvore de natal em casa, como uma forma de decoração, para deixar o ambiente mais bonito nessa época. Uma irmã que veio me visitar disse que isso é pecado, pois árvore de natal tem origem pagã, é coisa do diabo, traz coisas malignas para minha casa. Isso é correto?”

Segundo o teólogo, em primeiro lugar é preciso entender o que é “uma coisa pagã” e depois avaliar os critérios usados antes de selecionar o que deve ou não fazer parte de nossas vidas. 

O que é paganismo?

No sentido mais simples do dicionário, ser pagão dentro do cristianismo é não seguir os conceitos cristãos. 

Sanchez explica que “para alguns, se algo foi pensado ou fabricado fora dos conceitos de Deus, tem origem pagã e não pode ser usado, pois pode trazer maldição espiritual”, explicou. 

É o que muitos pensam em relação à árvore de Natal. “Se tem origem pagã, no passado, a pessoa pensa que não deve utilizar”, explicou. 

E, a maioria busca as origens desse ornamento na internet. “Eu digo ‘origens’ no plural porque tem uma série de histórinhas e lendas”, apontou.

“Não devemos temer o diabo”

Segundo o teólogo, não é possível pesquisar a origem de tudo o que usamos. “Não sabemos quem produz todas as coisas, se as pessoas as oferecem aos seus próprios deuses ou se são adoradores do diabo”, ponderou.

“Aqueles que satanizam a árvore de Natal ou as guirlandas deveriam também pesquisar a origem de todas as coisas que usam em seu dia a dia, caso contrário é uma hipocrisia”, considerou. 

“Não devemos temer o diabo, pois ele não criou todas as coisas e o poder dele não está acima do poder de Deus”, continuou. 

Assista o vídeo:

O que a Bíblia diz?

Sanchez explica que Paulo passou por um problema parecido, porém era com as coisas vendidas no mercado e os cristãos não sabiam se estavam comprando algo oferecido para um ídolo. Ele aponta para a resposta do apóstolo.

“Comam de tudo o que se vende no mercado, sem fazer perguntas por causa da consciência, pois do Senhor é a terra e tudo o que nela existe”. (1 Coríntios 10.25,26)

“Esse texto é libertador. Paulo está dizendo [nesse caso] para não questionarmos a origem de nada. O que a terra produz é o Senhor que faz produzir. Então consagre a Deus, pois tudo é Dele”, reforçou. 

Ele também citou sobre as carnes oferecidas a ídolos, naquela época. “A comida não tem poder para nos trazer mal espiritual. Não é a comida o mais importante, mas o coração, a fé e o andar na vontade de Deus”, disse. 

Além disso, o teólogo lembrou que Jesus comeu com os pecadores. “A nossa consagração é superior a qualquer outra consagração que alguma pessoa possa ter feito a demônios”, frisou. 

Onde está o pecado?

Segundo o presbítero, o único pecado que pode haver ao montar uma árvore de Natal é quando a motivação envolve idolatria. 

“Se você montar uma árvore e incluir a imagem de um santo, velas ou pedidos de boa sorte, você está caindo na idolatria e isso sim é pecado”, explicou. “Se a árvore for um simples enfeite, não há problema algum”, disse ainda. 

Mas, é preciso cuidar para continuar dando um bom testemunho, segundo Sanchez. “Se alguns irmãos, vendo a sua árvore, encontrar algum problema e isso for motivo de discórdia, opte pela pacificação, para que isso não atrapalhe a fé do seu irmão”, esclareceu e finalizou. 

Siga-nos

Mais do Guiame