Procurador do Texas afirma que censura a sermões sobre homossexualidade é inconstitucional

Cinco pastores da cidade Houston receberam intimações para que os sermões que falam sobre homossexualidade sejam previamente analisados.

Fonte: guiame.com.brAtualizado: terça-feira, 21 de outubro de 2014 11:23
Procurador do Texas afirma que censura a sermões sobre homossexualidade é inconstitucional
Procurador do Texas afirma que censura a sermões sobre homossexualidade é inconstitucional

Procurador do Texas afirma que censura a sermões sobre homossexualidade é inconstitucionalO Procurador Geral do Texas, Greg Abbott, comentou a decisão da prefeita de Houston, Annise Parker e do Procurador David Feldman em exigir que sermões de cinco pastores - que abordavam o tema da homossexualidade - fossem entregues para uma análise prévia e considerou a medida como inconstitucional.

"Se você pretende que seja assim ou não, sua ação é um ataque direto à liberdade religiosa garantida pela Primeira Emenda", escreveu Abbott em uma carta à prefeita. Ele também suegriu que a prefeita evitasse o tom de intimidação que há em sua proposta.

Os cinco pastores intimados fazem parte de um grupo de oposição da cidade em um processo sobre uma petição para obter uma ordenança dos direitos LGBT na cédula. Annise Parker (prefeita) já assumiu publicamente sua homossexualidade.
 
O senador Ted Cruz, R-Texas, os cinco pastores e seus advogados da Aliança de defesa da liberdade juntaram-se a dezenas de outros apoiadores na última quinta-feira, 16/10, na Primeira Igreja Batista de Houston para exigir que a prefeitura retire as intimações.
"Quando você intima um pastor, intima também todos os pastores", disse Cruz.

Os protestos contra a nova medida não se concentram mais apenas em Houston, se espalharam por todo o país. A Comissão de Ética e Liberdade Religiosa da Convenção Batista do Sul pediu a igrejas de todo país que abordem esta questão nos púlpitos.

Em um post publicado em seu site, A Comissão encoraja os pastores a usar a hashtag
#4Houston5 para postar fotos de seu sermão nas mídias sociais antes de enviá-los ao escritório de Parker.
 
O reitor da Universidade Batista de Houston, John Mark Reynolds convocou "as pessoas que amam Parker como pessoa, se oponham implacavelmente a suas ações como prefeita, e considerem essa batalha com a liberdade religiosa em perspectiva".

Outros têm insistido que o caso é um teste crucial de proteções americanas para a liberdade religiosa.

"A igreja não deve ser obrigada a ter o governo assinando os sermões do seu pastor", declarou o Conselho de Pesquisa da Família, incitando suportes assinar uma petição de solidariedade.

O Presidente do Instituto pela Liberdade, Kelly Shackelford disse que as intimações lembram as formas como os nazistas procuravam provas incriminatórias contra pregadores sob sua Ordem em um ato infame de amordaçar estes líderes religiosos.
 
Com informações da WORLD News Service
 
*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame