Perto da morte, missionário é curado de Covid por oração: “Pela ciência, não estaria vivo”

Pela ciência, George Smith não poderia estar vivo, mas pelo poder da oração de cristãos ao redor do mundo ele foi curado por Deus.

Fonte: Guiame, com informações da IMBAtualizado: quinta-feira, 1 de julho de 2021 13:21
O presidente da IMB, Paul Chitwood, e sua esposa Michelle, visitam George Smith e Geraldine, no hospital. (Foto: IMB).
O presidente da IMB, Paul Chitwood, e sua esposa Michelle, visitam George Smith e Geraldine, no hospital. (Foto: IMB).

Um missionário à beira da morte por Covid-19, em Uganda, foi curado milagrosamente, depois que uma corrente de oração e jejum foi feita por ele ao redor do mundo.

George Smith, um missionário batista da International Mission Board (IMB), contraiu o coronavírus em janeiro deste ano, quando participava de um evento de treinamento numa pequena vila de Uganda.

Uma semana depois do evento, uns amigos de George que participaram do treinamento o ligaram, avisando que estavam com Covid-19. Então, como o missionário já estava com uma tosse, resolveu fazer o teste e o resultado deu positivo.

Apesar de apresentar sintomas leves no início, após duas semanas do diagnóstico, o quadro de saúde do missionário começou a piorar:

“Ele começou a ficar fraco e não conseguia se mover nem ter energia. Chegou ao ponto que uma noite ele ficou tão doente e seus níveis de oxigênio estavam tão baixos que sabíamos que tínhamos que ir direto ao médico na manhã seguinte”, contou sua esposa Geraldine.

O médico, depois de examiná-lo, decidiu mandar George para o hospital em Nairóbi, Quênia, de ambulância. Nos primeiros sete dias internado, os níveis de oxigênio dele se estabilizaram, dando esperança para uma recuperação. Entretanto, o missionário teve uma crise de asma muito forte e precisou ser intubado.

O cristão passou os quatro meses e meio seguintes em estado grave, não respondendo ao tratamento. Seus órgãos começaram a parar de funcionar e ele foi colocado em diálise e suporte de vida. Os laudos neurológicos de George detectavam cada vez menos atividade.

Orando por uma milagre

Os médicos perguntaram a Geraldine se ela gostaria de manter ou desligar os aparelhos que estavam mantendo seu marido vivo.

“Eu compartilhei com os médicos que o Deus que eu servia me permitiu ter a esperança de que Ele ainda poderia salvar George. Eu queria manter George no aparelho de suporte de vida porque sabia que se Deus quisesse levar George, ele já o teria feito. Eu vi o suporte de vida como uma forma de dar a George tudo que ele precisava para sobreviver, mas eu sabia que, em última análise, dependia de Deus”, relatou a esposa.

Durante os quatros meses de internação, os amigos, familiares, colegas missionários e sua congregação em Uganda oravam pela cura de George. No início de abril, um grupo de novos convertidos do norte da África organizou um dia de oração e jejum em favor da cura do missionário e para que ele acordasse.

No dia seguinte da campanha de oração, George acordou. “Quando ele acordou, não tinha ideia de onde estava ou o que aconteceu com ele. Mas quando eu disse a ele tudo o que tinha acontecido e quantas pessoas oraram por sua cura, ele ficou tão comovido”, disse Geraldine.

O quadro de saúde do missionário melhorou durante os meses de abril e maio, e ele foi tirado da diálise e sua taxa de infecção de Covid-19 baixou. No final de maio, George e Geraldine viajaram em um avião de evacuação médica para os Estados Unidos a fim de que o missionário continuasse o tratamento de recuperação em um hospital em Nova Orleans.

Desde então, George e Geraldine têm testemunhado como o poder da oração salvou a vida do missionário.

“Pela ciência, George não deveria estar vivo. A cura dele é um milagre. Deus o curou respondendo às orações de pessoas ao redor do mundo”, declarou a esposa.

 

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame