Pastores são forçados a incluir discurso do presidente da China nas pregações

A ordem foi dada a pastores do Movimento Patriótico das Três Autonomias, setor do governo que regula as denominações protestantes.

Fonte: Guiame, com informações do Bitter WinterAtualizado: quinta-feira, 15 de julho de 2021 14:21
Cardeal Joseph Zen, da Igreja Católica de Hong Kong, em imagem de 2009. (Foto: Kin Cheung/AP)
Cardeal Joseph Zen, da Igreja Católica de Hong Kong, em imagem de 2009. (Foto: Kin Cheung/AP)

Igrejas que são oficializadas e supervisionadas pelo governo da China foram obrigadas a inserir, em suas pregações, trechos do discurso do presidente Xi Jinping, feito durante o aniversário de 100 anos do Partido Comunista Chinês (PCC).

As igrejas que estão registradas no Movimento Patriótico das Três Autonomias, setor do governo que regula as denominações protestantes, podem funcionar de forma legalizada na China — mas precisam se submeter ao controle do Estado.

Uma conferência nacional protestante foi realizada em 8 de julho, com o tema “Aprendendo e Implementando o Espírito do Discurso de 1º de Julho do Secretário-Geral [do PCC] Xi Jinping”. O evento foi presidido por Xu Xiaohong, presidente do Comitê do Movimento Patriótico das Três Autonomias, e Wu Wei, presidente do Conselho Cristão da China.

De acordo com a revista Bitter Winter, na ocasião, os participantes foram informados que “os pastores das igrejas das Três Autonomias devem fazer do discurso de Xi Jinping em 1º de julho o principal objeto de estudo para eles e para os fiéis que participam dos grupos de estudo bíblico, e pregá-lo em seus sermões”.

“Aqueles que deixassem de fazer isso provariam que suas igrejas não são ‘sinicizadas’ — ou seja, não estão sob a influência da cultura chinesa —, o que é uma condição necessária para ter permissão de sobreviver”, acrescenta a publicação.

Pastores e líderes da Igreja das Três Autonomias também receberam algumas orientações práticas sobre quais partes do discurso de Xi Jinping devem ser enfatizadas. Os pastores devem levar os cristãos a “agradecer a Deus por nos colocar nesta grande era” e “continuar a aprender o espírito do discurso do secretário-geral Xi”.


Xu Xiaohong, do Movimento Patriótico das Três Autonomias, discursando na conferência. (Foto: Bitter Winter)

Modelo de pregação do socialismo

De acordo com a Bitter Winter, o modelo de sermão baseado no discurso do presidente chinês deve levar os seguintes pontos:

1. O PCC e o presidente Xi Jinping perceberam o grande rejuvenescimento da nação chinesa.

2. Os cristãos devem repetir frequentemente dois slogans: “Viva o grande, glorioso e justo Partido Comunista Chinês! Viva o grande, glorioso e heróico povo chinês!”

3. As raízes e o sangue do PCC estão nas pessoas. É a festa do próprio povo.

4. O PCC completou as “quatro grandes conquistas”: uma revolução socialista; a construção de uma sociedade socialista sob o ex-presidente Mao Tsé-Tung; uma reforma socialista sob o ex-presidente Deng Xiaoping e um socialismo com características chinesas sob o atual presidente Xi Jinping.

5. Sob Xi Jinping, o PCC trouxe um grande e harmonioso desenvolvimento às “cinco civilizações”: material, política, espiritual, social e econômica.

6. O PCC trouxe ao mundo os “seis valores comuns” da humanidade: paz, desenvolvimento, equidade, justiça, democracia e liberdade. 

7. Os cristãos devem confiar no PCC, pois ele tem mais de 70 anos de experiência em governar o país com sucesso. 

8. Os cristãos devem se unir ao PCC dizendo às potências hostis estrangeiras que “a era em que a nação chinesa era massacrada e intimidada acabou para sempre!”

9. Os cristãos devem apoiar os líderes do PCC, já que “somente o socialismo pode salvar a China”. 

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame