Pastor fica cego após ser torturado por oficiais do governo nigeriano

O pastor Ejimozor Williams foi capturado por agentes do governo e acusado de usar dinheiro falso. Ele foi torturado a ponto de perder a visão.

Fonte: Guiame, com informações do Christian TodayAtualizado: sexta-feira, 10 de março de 2017 19:28
Durante três semanas, Williams ficou incomunicável. (Foto: Reprodução).
Durante três semanas, Williams ficou incomunicável. (Foto: Reprodução).

Um pastor cristão na Nigéria perdeu a visão depois que agentes da lei o torturaram. Ele havia sido acusado de usar dinheiro falsificado, uma acusação que ele negou. Ejimozor Williams, de 46 anos, pastor da Igreja Profética Internacional Gracious e Mercy (Graça e Misericórdia), na cidade de Egbeda, estado de Ayobo, compartilhou a terrível experiência que enfrentou nas mãos dos agentes do Departamento de Serviços do Estado (DSS) em 2014.

Ele disse ao site de notícias nigeriano The Punch que ficou detido por semanas. O pastor ainda informou que agentes de segurança do governo também o torturaram, fazendo com que ele perdesse a visão.

Tudo começou quando agentes invadiram sua residência em maio de 2014, à procura de um "dono de casa" chamado Chukwujekwu. Williams estava deixando Chukwujekwu viver em sua casa, mas depois de ver os agentes, ele imediatamente fugiu.

O homem estava sendo acusado de defraudar os moradores locais usando moeda falsa. Mas desde que ele fugiu, a culpa caiu sobre Williams. "Durante a busca, eles encontraram os dólares falsos de Chukwujekwu, usados para defraudar as pessoas na área”, disse.

Mais que torturas

“Eles disseram que eu deveria assinar uma declaração, mas eu me recusei”, disse Williams. "Eles me bateram". O pastor foi levado para o escritório do DSS em Magodo, onde foi torturado pela primeira vez. Williams disse que um dos agentes atirava objetos em sua cabeça e ameaçava matá-lo. Como resultado dos golpes na cabeça, parte de seu crânio foi comprometido.

"Foi quando chegamos à sede que eu percebi que eles eram funcionários do DSS", explicou. "Eles acorrentaram minhas mãos e pés, e no dia seguinte me informaram que um dos moradores locais disse a eles que nós dois usávamos dólares falsos para enganar as pessoas”, contou.

Durante três semanas, Williams foi mantido "incomunicável" e ele era "constantemente torturado". Os agentes queriam dinheiro em troca da liberdade do pastor, mas ele não tinha nada a oferecer.

"Depois de mais uma rodada de tortura, eu desmaiei e fui levado às pressas para uma clínica onde eles disseram que minha pressão estava baixa", lembrou Williams. Mais tarde foi transferido para o Departamento de Investigação e Inteligência Criminal do Estado do Comando de Polícia do Estado. Ele foi então levado para a prisão de Ikoyi. Lá, ele começou a sofrer de uma enxaqueca horrível.

"Isso me levou a um acidente vascular cerebral parcial. Eu estava em casa, quando de repente tudo ficou branco. Eu não podia ver nada e eu estava como cego", disse Williams. "Agora, eu não posso fazer nada para mim e minha família, estou frustrado, também tenho diabetes e pressão alta", finalizou.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame