Pastor evangélico acusa Santa Casa de dificultar visita e oração por paciente na UTI

"Graças a Deus consegui fazer a oração para a jovem, mas isso não pode voltar a acontecer, nem comigo e nem com outros religiosos que vão ao hospital fazer seu trabalho e levar conforto aos pacientes", diz o líder evangélico.

Fonte: guiame.com.brAtualizado: quarta-feira, 20 de agosto de 2014 19:19
pastor na Santa Casa
pastor na Santa Casa

pastor na Santa CasaAntônio Carlos Costa e Silva, pastor da Igreja Evangélica Quadrangular, afirma ter sido barrado ao tentar visitar e orar por uma paciente internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Piracicaba-SP.

O ocorrido foi na última quinta-feira (14), pouco mais de um mês depois de o prefeito Gabriel Ferrato (PSDB) sancionar uma lei que garante "assistência religiosa" em hospitais públicos e particulares quando solicitada pelo paciente ou pela família.

De acordo com o pastor, a visita foi solicitada pela família da paciente. Ele diz que chegou ao local às 11h15 e foi informado que a paciente passava por um procedimento e não poderia receber visitas. Mais tarde, às 16h50, ele retornou ao hospital e recebeu a mesma informação. "Só me disseram isso, não falaram quanto tempo demoraria, nem nada do tipo", afirmou. O pastor voltou pela terceira vez e somente após as 19h conseguiu ver a paciente.

"Eu já orei por pessoas em situações muito críticas. Já presenciei médicos usando o desfibrilador em pacientes e ajudei com a minha oração. Ninguém pediu para eu me retirar, só disseram para eu fazer meu trabalho que iriam fazer o deles", relatou o pastor.

Antônio Carlos afirma que já foi à UTI da Santa Casa outras vezes e nunca teve problemas. Ele também diz saber que tem momentos que a pessoa não pode receber visitas, mas que eles também não sabem quando o paciente precisa de um pouco mais de Deus.

"Graças a Deus consegui fazer a oração para a jovem, mas isso não pode voltar a acontecer, nem comigo e nem com outros religiosos que vão ao hospital fazer seu trabalho e levar conforto aos pacientes", ponderou o líder evangélico.

A Santa Casa de Piracicaba informou, por meio de assessoria de imprensa, que a paciente de fato passava por um procedimento delicado durante a manhã e a tarde e não poderia receber a visita religiosa. Ainda segundo o hospital, à noite a paciente estava estável e recebeu a oração do pastor. "A prioridade da Santa Casa é o paciente e por isso há normas para as visitas", informou a assessoria do hospital.


com informações do G1

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame