“A oração é o lugar secreto onde encontramos Deus”, diz ex-jogador da NFL

Para o pastor Derwin Gray, em momentos difíceis, como uma pandemia, é instintivo que o ser humano se volte para Deus através da oração.

Fonte: Guiame, com informações de Relevant MagazineAtualizado: quarta-feira, 29 de setembro de 2021 18:20
Derwin L. Gray refletiu sobre o papel e a importância da oração na vida do cristão. (Foto: Mighty Pursuit).
Derwin L. Gray refletiu sobre o papel e a importância da oração na vida do cristão. (Foto: Mighty Pursuit).

O ex-jogador da NFL (Liga Nacional de Futebol Americano), Derwin L. Gray, e hoje pastor da Transformation Church nos Estados Unidos, refletiu sobre o papel e a importância da oração na vida do cristão em artigo para a revista cristã Relevant. 

A humanidade se viu em completo desespero e aflição em 2020 com a chegada da pandemia da Covid-19, observou Derwin: “Pessoas adoeceram. Os entes queridos morreram. O desemprego disparou. A economia mundial correu para a recessão”.

Diante desse cenário, a incerteza e a ansiedade tomaram a vida de muitos. “Os acontecimentos do ano revelaram que nossas vidas são construídas na areia. Algumas pessoas não tinham certeza de onde viria sua próxima refeição”, disse o ex-jogador. O pastor relatou que, durante a pandemia, sua igreja alimentava cerca de 400 famílias por semana, que foram afetadas pela recessão econômica. 

Para Derwin, a crise pandêmica que atingiu a todos, mostrou que o mundo precisa, desesperadamente, de redenção. E não apenas o mundo, mas também o interior do homem, destacou o pastor. 

“O que está em nós é, de longe, pior do que o que está fora de nós. Jesus disse: ‘Pois de dentro, do coração das pessoas, vêm os maus pensamentos, imoralidades sexuais, roubos, assassinatos, adultérios, ganância, ações más, engano, autoindulgência, inveja, calúnia, orgulho e tolice. Todas essas coisas más vêm de dentro e contaminam a pessoa’ (Marcos 7: 21–23)”, lembrou.

A natureza carnal do homem é inclinada a fazer o mal, aquilo que não queremos fazer. “Não amamos nosso próximo porque somos chamados a amar. Não perdoamos as pessoas porque somos chamados a perdoar. Não servimos as pessoas como somos chamados a servir. Não damos generosamente como somos chamados a dar”, afirmou Derwin.

O pastor disse ainda que existe uma esperança de redenção para este mundo, que é o salvador Jesus Cristo, disponível para todos aqueles que crerem nele. “Eu acredito que temos um libertador, um redentor, um derrotador do pecado, um assassino da morte, que por um coração de amor sem fim, deu sua vida por nós”, declarou.

Oração: presente de Deus

Em momentos difíceis, como uma pandemia, é instintivo que o ser humano se volte para Deus e é através da oração, que a busca por Ele acontece, refletiu Derwin:

“A vida é difícil. Há muito a superar. Quando somos pressionados de um lado para o outro e de cima para baixo, questionamos: ‘Deus, quando eu oro, você me ouve? Jesus, minhas orações estão atingindo o teto e se espatifando no chão? Pai, estou rezando errado?’”.

Escrevendo o seu novo livro sobre oração “Deus, Você me ouve?”, o pastor Derwin disse que aprendeu quais as orações Deus responde. Segundo o autor, a oração que o Senhor atende é o modelo da Oração do Pai Nosso, ensinada por Jesus em Mateus 6. 

Segundo Derwin, a oração é um lugar de comunhão com o Pai, um lugar para encontrar refrigério e descanso. “A oração é o lugar secreto onde encontramos Deus esperando por nós. A oração é a porta pela qual entramos para descobrir o coração da graça infinita de Deus. A oração é o lar que sempre desejamos, onde podemos rastejar para o colo de nosso pai”, refletiu.

O ex-jogador ensinou que a oração é um presente de Deus para ser aproveitada na vida cristã. “A oração é um presente inestimável. Infelizmente, muitos de nós raramente gastamos tempo apreciando o presente. Portanto, sentimos falta de desfrutar Jesus”, concluiu Derwin.

 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame