Jovem suicida que entraria no Estado Islâmico conhece Jesus e é batizada

Sofrendo com pensamentos suicidas, a muçulmana Rita Chaima decidiu se aliciar ao Estado Islâmico para matar pessoas. Mas, ao ler a Bíblia, encontrou Deus.

Fonte: Guiame, com informações da CBN NewsAtualizado: quinta-feira, 16 de setembro de 2021 19:42
A ex-muçulmana Rita Chaima foi resgatada das trevas para a luz. (Foto: Reprodução/CBN News).
A ex-muçulmana Rita Chaima foi resgatada das trevas para a luz. (Foto: Reprodução/CBN News).

Rita Chaima experimentou uma transformação completa ao conhecer Jesus: foi salva, curada e liberta. Rita cresceu como muçulmana e desde muito cedo enfrentava a depressão e pensamentos suicidas. 

“Eu apenas vivia um mundo cruel e eu não queria ser parte dele”, contou a jovem no documentário "In His Footsteps" do ministério The Last Reformation. 

Perdida em sua angústia e desesperança, Rita tentou suicídio por três vezes. "Eu estava usando drogas, estava fumando, estava fumando qualquer coisa. Eu só queria me destruir”, disse.

A garota ficou com tanta raiva em seu coração que decidiu se aliciar ao Estado Islâmico (ISIS) para matar os “infiés”, que não seguiam o islamismo, na jihad. “Eu odiava pessoas que não eram muçulmanas. Queria matá-las”, contou Rita.

Os vídeos de decapitações do Estado Islâmico incentivaram a jovem em sua decisão. "Eu adorava vê-los sangrando. Via vídeos de decapitação e adorava”, relatou.

Porém, algo interferiu nos planos terroristas de Rita. Sua mãe trouxe vários livros gratuitos para ela ler, entre eles estava uma Bíblia. A garota então começou a ler a Palavra de Deus para refutar o cristianismo, mas acabou tendo um encontro com Jesus. 

“Comecei a ler a Bíblia para provar aos cristãos que eles estavam errados. Mas eu estava errada! E a graça de Jesus Cristo começou a me tocar. Eu estava lendo coisas como 'ore por seus inimigos', 'ame-os' e eu queria matá-los”, lembrou.

“Intelectualmente, eu não queria aceitar Jesus, mas Jesus começou a trabalhar em meu coração”, confesso. Sem conseguir resistir ao amor de Cristo, ela o recebeu como Senhor e Salvador e decidiu segui-lo, ao invés de se juntar ao ISIS.

Quando Rita contou à sua família muçulmana que havia se convertido ao cristianismo, eles a rejeitaram e pararam de falar com ela. A jovem disse que se fosse no passado, a depressão a teria dominado nesse momento difícil, mas agora ela tinha Cristo para lhe ajudar, através da leitura da Bíblia.

“Jesus estava lá comigo. Ele estava me encorajando. O Espírito Santo estava realmente lá. Eu senti isso, eu sabia disso”, contou.

Resgatada das trevas para a luz

No batismo de Rita, Deus completou sua obra da vida da ex-muçulmana. Enquanto era batizada nas águas, os espíritos malignos que a possuíam se manifestaram. "Eu nem me lembro o que fiz. Eu tive que ver o vídeo do meu batismo. Eu estava completamente louca, o demônio estava louco, não fui eu. Eu chutei Jon. Ele me batizou”, disse. 

Enquanto a jovem se debatia e gritava, Jon começou a expulsar os demônios pelo poder do nome de Jesus. Rita foi liberta e ainda foi batizada no Espírito Santo. 

“Após o batismo, senti como se o peso tivesse desaparecido completamente. E eu estava tão animada para ir e fazer discípulos. Comecei a querer falar de Jesus para todos, até para as pessoas que me levaram ao terrorismo. Queria ir vê-los, dizer-lhes que estão errados e que o amor os espera”, testemunhou Rita.

Hoje, é isto que a jovem cristã está fazendo. Junto com o evangelista Peter Ahlman e outros cristãos, ela viaja para contar seu testemunho de transformação.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame