Homem internado por 4 meses por Covid recebe alta com louvor: “Meu milagre vai chegar”

André Miranda da Silva, contrabaixista e fã de música gospel, passou quatro meses internado em estado gravíssimo e precisou ser submetido à ECMO.

Fonte: Guiame, com informações de GZHAtualizado: quarta-feira, 4 de agosto de 2021 19:12
André com a família e as mensagens de agradecimento. (Foto: Mateus Bruxel/Agência RBS).
André com a família e as mensagens de agradecimento. (Foto: Mateus Bruxel/Agência RBS).

Depois de quatro meses de internação, André Miranda da Silva, venceu uma forma gravíssima de Covid-19 e recebeu alta da CTI do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) na semana passada, ao som do louvor “Milagre”, do cantor gospel André Valadão.

O cristão, de 40 anos, recebeu uma homenagem dos profissionais do hospital ao sair da CTI. Com balões azuis e dourados, a equipe cantou a música favorita de André, acompanhada no violão. 

“Hoje o meu milagre vai chegar / Eu vou crer, não vou duvidar / O preço que foi pago, ali na cruz / Me dá vitória, nesta hora”, entoaram.

“A palavra é gratidão, né? Uma vitória. Tudo o que aconteceu ali. Aquela emoção toda, todo mundo que me ajudou, os médicos, os enfermeiros, os técnicos. Passou um filme na cabeça”, relembrou o paciente, em entrevista à GZH.

Segundo a médica intensivista Patrícia Schwarz, André desenvolveu uma infecção severa de Covid-19, comprometendo quase 100% dos pulmões. Ele foi transferido do Hospital Universitário de Canoas para o HCPA numa viagem de cerca de 20 quilômetros que exigiu três horas para o deslocamento da ambulância, devido ao seu estado delicado.

André logo precisou de ser submetido à oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO, na sigla em inglês), conhecido como pulmão artificial, um processo complexo, caro e não custeado pelo SUS. Ele teve complicações e a equipe médica cogitou em fazer um transplante de pulmão.

Mas, lentamente, André foi apresentando melhora e estabilidade em outros órgãos, permitindo a retirada gradual dos sedativos e o início da reabilitação. O intenso desejo do cristão de retornar para casa junto com sua família ajudou em sua recuperação total. 

“A partir do primeiro dia em que ele se sentou no leito, parece que virou a chave. No início, eram até oito pessoas ao redor para garantir a segurança ao ficar de pé. Ele era muito, muito colaborativo. A tranquilidade, a positividade dele foram muito importantes. A equipe estava muito engajada. Todos queriam ficar com o André. Foi um período bem difícil na UTI, em que vários pacientes não sobreviveram. Era uma esperança vê-lo ali”, recorda Patrícia, coordenadora do Programa de ECMO Adulto do HCPA. 

A fé e a animação de André durante sua internação viralizou na internet com um vídeo onde ele reage à música colocada para distrair os pacientes na UTI surpreendendo e emocionando a equipe médica. Ao som de Beatles, André se divertiu com a música animada, balançando os pés. 

Sua esposa, Daisy Holstein Miranda da Silva, que chegou a se despedir por chamada de vídeo num dos momentos mais dramáticos da doença, credita a impressionante cura do marido a Deus. “Foi um milagre”, declarou ela.

Durante os quatro meses de internação de André, Daisy e a filha do casal Andriely, de cinco anos, esperaram com fé seu retorno para casa. Havia um relógio de oração ininterrupta entre amigos e familiares pela recuperação do cristão. 

Aliviada e alegre com a cura do esposo, Daisy ainda comentou que a canção "Milagre", entoada na alta do hospital, também foi a trilha da época em que André, contrabaixista e fã da música gospel, queria namorá-la. 

“Naquela época, o milagre era eu”, brincou a companheira de 10 anos de casamento. 

Hoje, André continua sua recuperação em casa e fará sessões de fisioterapia motora e respiratória. Ele disse que já consegue abrir garrafas de água e refrigerante sem ajuda, o que considera uma grande conquista. 

“Às vezes, passamos tanto tempo correndo, trabalhando, pensando nas atividades e esquecemos um pouco do amor da família, do lar. Isso tudo fez com que eu pensasse agora. Temos que ter o amor da família, estar conectados com Deus. É isso que vamos levar, nada mais. Tudo o que guardamos, tudo o que compramos, tudo o que nos preparamos para ter, nada é mais importante do que a família, o amor que temos pelas pessoas e o amor que fazemos que as pessoas tenham por nós”, refletiu o cristão.




Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame