Família de pastor cubano preso foi despejada após falar contra o governo comunista

O dono da casa foi ameaçado pelo Estado, que disse que sua propriedade seria confiscada, caso ele continuasse a abrigar a família do pastor.

Fonte: Guiame, com informações de Christian TodayAtualizado: terça-feira, 20 de julho de 2021 17:08
Pastor Yarián Sierra, sua esposa Claudia Salazar e o filho do casal. (Foto: Reprodução/Facebook Y. Sierra)
Pastor Yarián Sierra, sua esposa Claudia Salazar e o filho do casal. (Foto: Reprodução/Facebook Y. Sierra)

Depois das manifestações em Cuba contra a ditadura comunista, alguns pastores foram detidos, entre eles Yéremi Blanco Ramírez e Yarián Sierra, de Matanzas. Os dois estão presos desde o dia 11 de julho. 

A esposa e o filho do pastor Sierra foram forçados a deixar a casa onde moravam após ameaças feitas ao proprietário. De acordo com o Christian Solidarity Worldwide (CSW), o dono da casa foi informado pela segurança do Estado que sua propriedade seria confiscada se ele continuasse a abrigar a família do pastor.

Mãe e filho foram despejados em 18 de julho e agora estão sendo abrigados em uma igreja local. Claudia Salazar havia denunciado sobre os “abusos, maus tratos e injustiça” depois que o marido foi preso. O despejo aconteceu um dia depois de suas declarações públicas. 

Falta de liberdade de expressão

Claudia criticou as autoridades cubanas pela detenção de seu marido e do pastor Ramirez. “Meu marido Yarián Sierra e nosso amigo e irmão, Yéremi Blanco Ramírez, são cidadãos cubanos honrados”, ela escreveu.

O procedimento normal é que os detidos permaneçam na prisão por até três dias, mas os pastores foram informados que ficarão por duas semanas, o que viola muitas leis cubanas.

O presidente Miguel Diaz-Canel chegou a ameaçar o povo com promessas de mais repressão. E o diretor do Seminário Carey de Cuba, Jatniel Pérez, que está fazendo uma campanha para ajudar na libertação dos pastores, disse que teme que a situação fique pior nos próximos dias. 

A chefe de defesa da CSW, Anna-Lee Stangl, disse que a decisão de despejar Claudia Salazar e seu filho, especialmente neste momento angustiante “é um ato vingativo e cruel das autoridades cubanas, que deveriam concentrar seus esforços em atender às chamadas referentes aos protestos em curso em todo o país.

Testemunho cristão

De acordo com a esposa do pastor Sierra: “Eles têm dedicado toda a sua juventude e vida para servir a igreja e servir aos outros. São homens de família. Pais amorosos, maridos amorosos, com um testemunho de vida impecável”. 

“Eles não são delinquentes, nem são canalhas, como os chamam os governantes deste país. São homens bons, são homens de Deus, que pensam diferente, que abominam o comunismo e que saíram para expressar isso como todo ser humano tem o direito de pensar e dizer o que sente”, continuou.

Fontes disseram à CSW sobre um terceiro pastor protestante, Lorenzo Rosales Fajardo, atualmente detido em uma instalação de segurança do Estado, em Santiago.

Ele foi detido com seu filho de 17 anos, que já foi libertado e é descrito por sua mãe como “psicologicamente traumatizado” por essa experiência. O governo cubano planeja acusar Fajardo e seu filho por “desrespeito e desordem pública”. Fajardo está enfrentando uma cobrança adicional relacionada a “ataques”. 

“Continuamos pedindo a libertação imediata e incondicional dos pastores Sierra, Ramirez e Fajardo e de todos os outros detidos por terem lutado pelos seus direitos humanos fundamentais. Esperamos que as acusações contra o filho do pastor Fajardo sejam retiradas”, finalizou Anna Lee.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame