"Eu te perdoo", dizem familiares das vítimas do atirador de Charleston (EUA)

Ao todo, cinco representantes das nove pessoas mortas no massacre falaram na audiência. Logo após, o presidente Barack Obama postou em seu perfil do Twitter que a "decência e bondade do povo americano brilham completamente nestas famílias".

Fonte: Guiame, com informações do The GuardianAtualizado: domingo, 21 de junho de 2015 11:15

"Eu te perdôo", disse a filha de Lance Ethel, de 70 anos, para o homem de 21 anos que confessou ter assassinado sua mãe e mais oito pessoas em uma igreja de Charleston (EUA).

Nadine Collier teve a oportunidade de fazer uma emocionada declaração a Dylan Roof em uma audiência filmada, no tribunal de Charleston, na tarde da última sexta-feira (19), dois dias depois da chacina.

Parentes de outras vítimas da igreja Emanuel também foram ao tribunal para declarar seu perdão ao jovem. Vídeos com trechos dos depoimentos têm viralizado pelas mídias sociais, neste final de semana.

Dylan Roof foi visto na audiência também por meio de uma câmera instalada em uma sala do centro de detenção de Charleston - onde ele atualmente está preso.

"Você tomou algo muito precioso de mim, mas eu te perdôo", disse a filha de Lance em meio a lágrimas. "Isto me machuca. Você feriu um monte de gente, mas eu desejo que Deus o perdoe".

Mãe de Tywanza Sanders, que também foi morto na última quarta-feira (17) à noite tentando proteger sua tia-avó de tiros, Felicia Sanders lembrou o atirador confesso que naquela noite, ele foi bem recebido pelo grupo de estudo bíblico.

"Você foi bem vindo em nosso grupo de estudo bíblico naquela noite de quarta-feira. Te recebemos de braços abertos. Mas você matou algumas das pessoas maravilhosas que eu conheço. Cada fibra do meu corpo dói. Eu nunca mais serei a mesma. Tywanza era o meu herói. Mas como dizem no estudo da Bíblia, nós amamos você. Que Deus tenha piedade de sua alma", disse.

Roof ficou parado, usando um uniforme listrado cinza, à medida que o Juiz James Gosnell solicitava que os representantes de cada de cada família fizessem uma declaração formal, caso quisessem.

Funcionários judiciais confirmaram mais tarde que Roof conseguiu ver a sala do tribunal e ouvir cada um dos discursos, mas ele não podia ver os parentes que estavam a poucos passos de distância do juiz, do seu ponto de vista.

Alanna Simmons, a neta do pastor aposentado Daniel Simmons, de 74 anos de idade também declarou que não guarda ódio pelo assassino.

"Embora meu avô e as outras vítimas tenham morrido por mãos cheias de ódio, isso é prova de que vivemos e amamos", disse ela. "O ódio não vai ganhar".

Ao todo, cinco representantes das nove pessoas mortas no massacre falaram na audiência. Logo após, o presidente Barack Obama postou em seu perfil do Twitter que a "decência e bondade do povo americano brilham completamente nestas famílias".

Clique no vídeo abaixo para assistir a alguns trechos destes depoimentos:

Siga-nos

Mais do Guiame