Estado Islâmico mata muçulmanos que ajudaram na fuga de cristãos da Síria

Muçulmanos estão ajudando os cristãos a fugir da cidade síria de al-Qaryatain onde eles foram assassinados quando foram descobertos por jihadistas.

Fonte: Guiame, com informações do Christian PostAtualizado: quinta-feira, 14 de abril de 2016 20:24
Em outubro, cristãos começaram a fugir da cidade em pequenos grupos. (Foto: Reuters).
Em outubro, cristãos começaram a fugir da cidade em pequenos grupos. (Foto: Reuters).

Muitos cristãos foram mortos durante o regime de oito meses do Estado Islâmico na cidade. No entanto, a pesquisa Fides indica que eles morreram em diferentes circunstâncias e ao longo do tempo. De acordo com a agência de notícias Fides, mais informações surgiram sobre o tratamento dos cristãos na cidade que foi retomada das mãos do Estado Islâmico no início de abril pelas forças do exército sírio.

De acordo com fontes locais que foram contatadas pela agência, em setembro do ano passado alguns cristãos morreram de causas naturais, enquanto um foi morto em um bombardeio. Três outros foram levados como reféns para Raqqa, apesar de rumores de que eles foram mortos. Um cristão foi assassinado por jihadistas por “blasfêmia”.

Em outubro, cristãos começaram a fugir da cidade em pequenos grupos, começando com moças solteiras com medo de serem forçadas a se casarem com jihadistas.

Seis muçulmanos perderam a vida com cinco cristãos em uma fazenda que está sendo usada como uma base para ajudar as pessoas a fugir para Homs. A fazenda se localiza em uma área controlada por nenhum dos lados e ela também foi usada para armazenar mercadorias dos refugiados que eram incapazes de levar com eles.

Todos os 11 morreram em dezembro, quando a fazenda foi atacada por cerca de 50 homens que saquearam os bens deixados no armazenamento.

Após a primeira fuga, os jihadistas capturaram 10 jovens cristãos e ameaçou eles de morte se não se convertessem ao islamismo. Anteriormente eles eram sacerdotes e líderes cristãos, mas foram convencidos de que em tais casos era melhor declarar sua conversão ao islamismo, em vez de perder as suas vidas. Os últimos três cristãos que morrem em al-Qaryatain foram mortos no ataque aéreo russo que levou à reconquista da cidade.

Siga-nos

Mais do Guiame