Ensina-me como faz, não faça por mim!

Em Jesus aprendemos a orar e não somos estimulados a depender de orações feitas por Ele ou de rezas feitas por qualquer que seja o guru

Fonte: Guiame, Alexandre RoblesAtualizado: sexta-feira, 15 de maio de 2015 12:00
Orando
Orando

Os discípulos pediram a Jesus: "Ensina-nos a orar". Pediram porque discerniram que até ali não sabiam, embora fizessem parte de uma cultura religiosa que acumulava muitas rezas e orações ensinadas, por muitas gerações; ou seja, apesar de religiosamente orarem muito, perceberam que não sabiam orar.

E pediram a Jesus não que orasse por eles, mas que os ensinasse a orar. Discerniram aquilo o próprio Jesus afirmou categoricamente em outra ocasião: "vocês pedirão em meu nome, não pedirei ao Pai em favor de vocês..."(João 16); de que poderiam ir a Deus, por causa de Jesus, de que não dependeriam da figura humana de Jesus, mas se apropriariam do direito dado por Jesus de irem direto a Deus.

Por isso, pediram a Jesus que os ensinasse a ir a Deus e não que fosse a Deus por eles; pediram que os ensinasse a orar e não que orasse por eles.

Muitas vezes pedimos que pessoas iluminadas orem por nós, que façam suas rezas e mandingas, que abençoem-nos de modo sacerdotal, que amarrem suas fitas, que nos deem de suas águas consagradas, que levem nossos nomes a montes e muros, que levem nossos pedidos a Deus, que, enfim, orem por nós.

Em Jesus aprendemos a orar e não somos estimulados a depender de orações feitas por Ele ou de rezas feitas por qualquer que seja o guru; porque qualquer um de nós pode e deve orar diretamente ao Pai. Em Jesus aprendemos a autonomia da espiritualidade que depende apenas do Pai.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame