Conselhos à querida Hollywood

Filmes como "Noé" e "Êxodo" nos levam a refletir sobre os tropeços cinematográficos com relação aos relatos bíblicos.

Fonte: guiame.com.brAtualizado: terça-feira, 30 de dezembro de 2014 11:25
Conselhos à querida Hollywood
Conselhos à querida Hollywood

Conselhos à nossa querida HollywoodQuerida Hollywood,

Olá, como vai? Desculpe eu não tenho escrito anteriormente. Você sabe como as coisas ficam, especialmente em torno dos feriados.

Respire fundo e não fique nervosa. Esta carta não é para confrontá-la, mas para ajudá-la a entender um dos seus públicos-alvo mais recentes: cristãos evangélicos.

Eu sou um seguidor de Cristo teologicamente conservador, que realmente gosta de ir ao cinema. Desde o momento em que eu estava no ensino médio eu me lembro de assistir grandes filmes e ser movido pelas mensagens de muitos deles. A primeira vez que vi um filme em um cinema foi quando eu tinha 12 anos de idade. Tinha ido ver "Rocky". Este filme foi muito mais do que uma história sobre boxe. Foi uma poderosa história de amor. Falava sobre a superação de dificuldades insuperáveis. Lágrimas rolavam junto com os créditos quando me sentei naquele teatro escuro. Eu estava tão inspirado eu corri e enquadrava tudo em uma câmera imaginária, durante todo o caminho para casa com a música-tema daquele filme ainda tocando na minha cabeça.

Sim, eu parecia (e continuo a parecer) um idiota dizendo isso. Mas um bom filme é um bom filme. Alguns deles fazem você chorar. Alguns fazem você rir. Alguns fazem você enquadrando tudo que vê como se estivesse em um filme e parecendo um idiota.

Claro que para cada grande filme há uma centena de outros não tão grandes. Mas eu aprendi a arte de dicifrar de antemão através das análises de críticos e amigos de confiança para que eu não perca meu tempo ou dinheiro em filmes medíocres ou obscenos.

Obrigado pelas boas e às vezes grandes produções que você nos proporcionou ao longo dos anos.

Então, quando você começou a fazer filmes que abordam o tema "atraente" para o público com base na fé eu fiquei super animado. E você começou com um estrondo: A Paixão de Cristo foi uma "obra-prima sangrenta". Claro, este filme fez o público se encolher nas poltronas com o que soou grotescamente como um alto nível de violência, mas também nos fez pensar sobre tudo o que Jesus sofreu para pagar o alto preço por nossos pecados e oferecer à humanidade a esperança. E a cena da ressurreição foi o melhor final (ou começo?) jamais visto antes!

Nós amamos isso! Os números de bilheteria provaram o que eu estou falando.

Assim começou uma busca cada vez maior em atingir os crentes com filmes que eles vão, não só assistir, mas trazer seus amigos e familiares para conferir.

O segredo foi revelado. Os cristãos gostaram dos filmes e vão gastar muito dinheiro em ingressos, pipoca e refrigerante se os filmes forem saudáveis e bem feitos.

Assim começou a série de filmes "Crônicas de Nárnia" (Yeah!) ... "Soul Surfer" (Yeah!) ... "Deixados para Trás" (Oops!)

Claro que você se atrapalhou algumas vezes. Mas isto acontece. Você estava tentando e nós, como cristãos, reconhecemos isto. A Sony, por todos os problemas atuais, ainda tem uma divisão dedicada a filmes baseados na fé agora, "Affirm" filmes.

Sim, nós sabemos que você está nisto de filmes / dinheiro fazendo negócios. Assim, à luz de alguns tropeços de bilheterias que você teve recentemente ("Noah" e "Êxodo: Deuses e Reis") eu pensei em passar um pouco de aconselhamento de um cristão que aprecia um bom filme e que está animado com a perspectiva de histórias bíblicas épicas sendo transformadas em filmes de grande sucesso épicos. Então, por que vale a pena, aqui estão os meus dois centavos (ou talvez eu deveria cobrar-lhe 14,50 dólares, como você me cobrado pelo último filme em 3D que eu assisti).

1. Fique com o script.
Se você estiver indo para apelar a um público cristão, especialmente um público cristão evangélico, então você tem que fazer um trabalho melhor em ficar com os principais pontos do roteiro, o roteiro de Deus.

E antes que você defenda-se com a necessidade de criar uma tensão para fazer o filme mais impactante, deixe-me assegurar-lhe que você pode fazer isso sem alterar as grandes pontos do Grande Livro (Bíblia). Monstros de pedra que sabem como construir barcos não eram necessários no filme "Noé". Quem te contou isso pode ter pensado que os cristãos gostam de monstros de pedra por causa de um episódio especial dos "Vegetais". Eles estavam errados.

Isso sem falar no filme "Êxodo". Na verdade, eu compartilhei meus pensamentos sobre esta produção em um blog não muito tempo atrás. O filme foi uma total desilusão para mim e para muitos dos cristãos que o assistiram comigo. Mas eu realmente queria que fosse bom, algo realmente grande. Os previews foram promissores, mas o filme errou o alvo.

Os cristãos evangélicos e críticos seculares finalmente concordaram em algo (embora provavelmente por razões diferentes) ... O filme "Êxodo" caiu de bruços.

Antes de eu ir mais longe que eu quero que você saiba que eu entendo que você tem todo o direito de fazer quaisquer tipos de filmes que você goste. E tenha a certeza de que os pregadores como eu vão continuar a referir-se a muitos deles em nossos sermões, livros e blogs. O Apóstolo Paulo indiretamente começou este hábito improvável para pregadores quando citou um poeta pagão a um grupo de atenienses em Atos 17: 16-33. Esse poeta em particular não tinha ajustado seu poema para um público cristão, mas Paulo citou-o de qualquer maneira.

Da mesma maneira, eu e muitos dos meus colegas comunicadores da Palavra de Deus, vamos continuar a "citar o poeta pagão". Por quê? Porque as pessoas se relacionam com os filmes e os pregadores falam a respeito da verdade de Deus para as pessoas. Às vezes, referindo-se a um filme ou mostrando um pequeno clipe de um filme para a congregação da igreja é possível fazer o caminho ponto melhor do que o pregador poderia.

Mas para nós mostrarmos clipes épicos bíblicos, seria útil que o filme fosse, bem, BÍBLICO. Se você realmente quer apelar para um público cristão com filmes baseados na Bíblia, em seguida, certifique-se que os principais pontos da história da Bíblia são mantidos e honrados.

2. Mergulhe profundamente nas histórias laterais e relacionamentos.

Nós, cristãos, compreendemos que você está fazendo um filme e que os personagens precisam ser desenvolvidos e as relações exploradas. Nós sabemos que você precisa de alguma licença criativa para fazer um filme de duas horas que seja convincente. E, em alguns casos, você fez exatamente isso. Por exemplo, a rivalidade entre irmãos que se desenvolveu entre Moisés e o futuro Faraó no início do filme "Êxodo" foi promissora. Será que isso realmente aconteceu na Bíblia? Não! O texto indica que o Egito tinha se esquecido de Moisés, quando ele se aventurou a voltar para ter um confronto com o Faraó (Êxodo 04:19). Mas a maioria do público cristão vai lhe dar uma piscadela, sabendo quando você está apenas colorindo fora das linhas um pouco com histórias que são convincentes. Entendemos que você está fazendo um filme e um filme precisa de desenvolvimento do caráter. Mas quando você começa a desencadear monstros de pedra, aí é que temos a tendência de "abandonar a sala".

3. Trabalhar com líderes religiosos do início ao fim.

Uma das coisas que Mel Gibson fez bem em desenvolver "A Paixão de Cristo", foi que ele esteve trabalhando com líderes religiosos durante todo a produção do filme. Eu nunca vou esquecer quando foram trazidos para os estúdios "Icon Productions" cenas que formavam uma prévia do filme. Nós conhecemos o Sr. Gibson e era óbvio que ele tinha uma paixão profunda pelo projeto. Ele e sua equipe tinham feito o trabalho de base de consultoria e conspirado com líderes religiosos para certificar-se que este filme seria tão impactante e de grande alcance possível. Nós os pagamos de volta, ajudando a catapultar este filme para o posto de maior bilheteria entre os filmes com base na fé de todos os tempos.

Você vê, Hollywood... nós, cristãos, amamos a ideia de assistir a um bom filme e vamos trazer todos os nossos amigos, familiares, vizinhos e igrejas para ver uma grande produção. Esteja certa que às vezes, nós vamos mesmo alugar salas inteiras se o filme for forte o suficiente. Você tropeçou para fora dos portões com duas histórias bíblicas épicas ("Noé" e "Êxodo") que poderiam ter sido filmes épicos também. Mas, por favor, não desista, há muitas outras histórias da Bíblia para serem produzidas.

Basta pensar no potencial de filmes sobre o livro de Atos, a história de Davi contra Golias, Esther, Abraão e Sarah... e muitos mais!

Minha esperança e oração é que você produza estas histórias de forma justa, fazendo grandes filmes delas. Suas parcelas têm resistido ao teste do tempo por milhares de anos. Seus enredos são fortes e convincentes. Elas só precisam de diretores e estúdios que as escolham e as produzam. Eles (diretores) nem sequer precisam acreditar nas histórias. Mas eles precisam acreditar que nós acreditamos e, em seguida, produzir estes filmes com isso em mente.

Se você fizer isso, vamos ajudá-la a quebrar ainda mais recordes de bilheteria. Vamos encher vans da igreja e do rebanho para os cinemas. Se você não fizer, tudo bem. Nós vamos apenas comer a nossa pipoca em casa e assisti-los quando ele sair no Netflix ou na locadora.

Atenciosamente,

Greg Stier

Cristão, pregador, observador de filmes

 

Publicado originalmente no Christian Post

*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br 

Siga-nos

Mais do Guiame