Andressa Urach fala sobre tempos difíceis no hospital: "Espíritos da morte queriam levar a minha alma"

A modelo destacou que, durante todos os dias que esteve internada - devido a complicações pela aplicação de hidrogel nas coxas -, a fé de sua mãe e a necessidade de cuidar de seu filho de 9 anos foram elementos importantes para sua recuperação.

Fonte: Guiame, com informações do Ego.GloboAtualizado: quarta-feira, 28 de janeiro de 2015 13:05
Andressa Urach revelou que agora vive uma nova fase, com outras prioridades
Andressa Urach revelou que agora vive uma nova fase, com outras prioridades

Depois de permanecer por 25 dias internada e ter visto a morte de perto, Andressa Urach falou com mais detalhes sobre os momentos difíceis que enfrentou, batalhando pela própria vida e também sobre o novo olhar que tem desenvolvido sobre sua fé e a superação de dificuldades.

Andressa destacou que, durante todos os dias que esteve internada - devido a complicações pela aplicação de hidrogel nas coxas -, a fé de sua mãe e a necessidade de cuidar de seu filho de 9 anos foram elementos importantes para sua recuperação.

Entre fatores que montaram o drama que viveu no hospital, a insuficiência renal e o seu peso chegando a 150 quilos se somavam às visões de espíritos que gritavam e a envolviam.

“No hospital vi espíritos da morte querendo levar a minha alma. Eram a alma da morte. Eles me rondavam porque queriam a minha alma de qualquer jeito. Isso tudo porque eu não agradeci a Deus. Foi a fé da minha mãe, que foi um elo com Deus, que fez com que as almas fossem embora. Eu estava perturbada. Eram almas feito nuvens escuras. Me davam um sentimento de medo e faziam barulhos assustadores como espíritos sofredores. Pareciam vultos escuros como se fossem fumaças. O vulto mais forte deles era um bem escuro que passava dentro do meu corpo. Pedi para suspenderem a morfina porque eles achavam que era ela que me fazia delirar. Mas eu acredito nessa coisa de espírito e achava que a substância me deixava entre esses dois mundos. Minha mãe chamou pastores que oraram por mim. Os médicos retiraram a morfina e as visões pararam”, contou.

Segundo ela conta, o seu passado pecaminoso e a vaidade exarcebada seriam, em grande parte, a explicação para o drama que viveu recentemente.

Entrando em mais detalhes, Urach contou que chegou a selar pactos com orixás e uma pombagira para alcançar a fama. Os trabalhos de magia chegaram a lhe custar o valor médio de um apartamento.

“Também fiz muito sexo por interesse, nunca por amor. Sempre me envolvi com homens de bom poder aquisitivo, comprometidos, casados, para conseguir deles boas viagens e bons jantares. Não tenho vergonha de contar, porque isso faz parte do meu passado”, revelou.

Andressa conta que não chegou a frequentar os centros de macumba, mas recebia a ajuda da mulher que liderava um dos locais.

“Tinha consulta com uma senhora que comandava um centro. Não chegou a ser magia negra, não sei explicar muito bem. Eu não chegava a frequentar um centro, mas tinha a sua ajuda. Ela me dava banhos de perfume, de sal para me limpar. Pedia para os orixás tudo que queria: o sucesso, o bom carro, o apartamento, consegui tudo. Eu paguei muito caro por isso. A promessa que fiz com a minha pompagira na época foi que, para cada R$ 1 mil que eu ganhasse, eu daria uma champanhe a ela. Fora os R$ 5 mil da festa de final de ano do centro espírita que eu também dava. Para celebrar os trabalhos que conquistava na televisão, doava R$ 3 mil. Também fiz mal para algumas pessoas, fazendo trabalhos para elas se afastarem de mim. A senhora que comandava o centro dizia o nome da pessoa, e eu fazia o trabalho para mantê-la longe”, contou.

Sexo por interesse
Apesar de ter conquistado a fama e o luxo, Urach revelou que isto não foi suficiente para lhe trazer a felicidade. Ela sentia falta de algo mais verdadeiro, como a realização na vida amorosa, por exemplo.

“Conquistei tudo o que eu quis, mas fui infeliz na vida amorosa. Os homens que se aproximavam de mim ou eram homens casados, ou comprometidos. Eu queria um amor de verdade. Sempre busquei isso, mas sabia que pelo fato de explorar demais esse lado sensual de bumbum, nenhum homem me aceitava. Eu sabia que esse era o preço que eu tinha a pagar por trabalhar na televisão. Só me envolvia com homens com bom poder aquisitivo. Sempre tive preconceito com homem que não tinha dinheiro. Sempre quis homens que me proporcionassem bons jantares, boas viagens, e isso é um pensamento triste. Não buscava o sentimento da pessoa e, sim, o que ela poderia me oferecer. Me envolvia com os homens por interesse. Não tenho vergonha de contar porque isso faz parte do meu passado”, contou.

E ao que tudo indica, ela pretende que esta história agora permaneça no passado. A modelo afirmou que agora vive uma nova fase.

Shows eróticos
“Hoje as prioridades são outras. A gente não pode mudar o nosso passado, mas pode mudar o nosso futuro. Agora as pessoas vão me ver pelas minhas atitudes”, disse.

“Está mudando tudo! Minha forma de viver, de pensar, de me alimentar (voz emocionada)... Tanto fisicamente quanto espiritualmente. Isso se deu a partir do momento que me vi diante da morte. Sei que sou um milagre de Deus, a experiência que vivi com Deus só eu sei. Ele é vivo, Ele existe”.

 

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame