Talibã está executando grupos de '30 a 40' por vez, relata missionário em campo

O missionário Dave Eubank, soldado da reserva do Exército dos EUA, está no país vizinho ajudando os afegãos que fogem.

Fonte: Guiame, Luana NovaesAtualizado: sexta-feira, 17 de setembro de 2021 13:12
Dave Eubank, que está no Tajiquistão, relata situação no Afeganistão. (Foto: Reprodução/CBN News)
Dave Eubank, que está no Tajiquistão, relata situação no Afeganistão. (Foto: Reprodução/CBN News)

O missionário Dave Eubank, soldado da reserva do Exército dos EUA e fundador do Free Burma Rangers (FBR), está no país vizinho Tajiquistão para apoiar pessoas que estão tentando fugir do Afeganistão.

Enquanto está atuando em campo, ele tem ouvido relatos impressionantes de pessoas que estão “aterrorizadas” com o novo governo instalado pelos combatentes islâmicos. “Todos os dias eu choro quando penso nessas garotinhas que estão nas mãos do Talibã”, disse à CBN News.

Em entrevista ao vivo à emissora cristã, ele relatou: “Se você não é do Talibã, você é tomado por um medo mortal do Talibã. Eles estão caçando pessoas, tentando pegar os nomes de qualquer um que vejam como inimigos: pessoas que trabalham com o governo americano, com outros governos ou com ONGs que não concordem.”

Eubank disse ainda que muitos têm sido executados. “Eu não tenho certeza dos números. Eu vi fotos recentes de 30, 40 pessoas, que eles ousam enviar para nós. Eu não sei a escala dos assassinatos e prisões, mas acredito que acontece em todo o país agora”, contou. 

Eubank revela ainda que muitos afegãos que fugiram de locais como o Vale Panjshir (no centro-norte do Afeganistão) estão passando necessidades. “Eles precisam de comida e abrigo, mas é muito difícil levar isso a eles. Essa é a principal razão pela qual viemos. Somos embaixadores de Jesus”, afirmou.

“Estamos nos reunindo com diversos líderes afegãos, dizendo: ‘Deus nos enviou para servir vocês. Viemos em nome de Jesus. Nós amamos vocês e nos importamos com vocês’. Estamos tentando levar comida, cobertores e assistência médica para aqueles que estão se escondendo. E estamos tentando ajudar o máximo de pessoas a sair”, continuou.


Pessoas estão fugindo do Afeganistão e passando necessidades. (Foto: Reprodução/CBN News)

Deixados para trás

O missionário também considerou “discutível” a decisão do governo dos EUA em retirar as tropas do Afeganistão. “Há bons argumentos para sair e para ficar. Mas a forma como saímos é desonrosa”, avaliou. “Deixamos milhares de pessoas para trás que nós prometemos que iríamos retirar, incluindo cidadãos americanos.”

“Minha oração é que nosso país olhe para isso de novo e diga àquelas pessoas reais que deixamos para trás: nos desculpe, somos humanos, vamos tentar tirar as pessoas de novo”, acrescentou.

Ele acredita que a permissão que o Talibã tem dado a cidadãos americanos para evacuarem é uma “tática para tentar ganhar favor e reconhecimento da comunidade internacional”. 

“Quem não tiver os papéis, quem eles entendem como inimigos, eles prendem e em muitos casos executam. Já vimos evidências disso. As pessoas estão aterrorizadas”, alertou.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame