Sacerdote hindu pede a decapitação de cristãos durante protesto na Índia

Cristãos temem que o discurso do líder radical provoque uma nova onda de perseguição no estado de Chhattisgarh.

Fonte: Guiame, com informações de Internacional Christian ConcernAtualizado: segunda-feira, 25 de outubro de 2021 17:59
Cristãos temem que o discurso do líder radical provoque uma nova onda de perseguição. (Foto: The Wire).
Cristãos temem que o discurso do líder radical provoque uma nova onda de perseguição. (Foto: The Wire).

Um sacerdote hindu, no estado de Chhattisgarh, na Índia, pediu a decapitação de cristãos durante uma manifestação contra conversões, no dia 1º de outubro. Agora, muitos crentes em Chhattisgarh temem que o discurso do líder provoque uma nova onda de violência anticristã em todo o estado, segundo o International Christian Concern (ICC).

De acordo com o jornal The Wire, o sacerdote Swami Parmatmanand incentivou o assassinato de pessoas que se convertem ao cristianismo numa suposta “conversão forçada”. 

“Decapite aqueles que vêm para a conversão. Agora você dirá que estou espalhando ódio, embora seja um santo. Mas é importante acender o fogo às vezes. Estou lhe dizendo; quem vier na sua casa, rua, bairro, vila, não perdoe”, afirmou o líder hindu.

Parmatmanand é um líder hindu radical proeminente no estado de Chhattisgarh e é conhecido por sua retórica violenta contra as minorias.

A manifestação, chamada de “Pare as Conversões Religiosas”, foi organizada por nacionalistas radicais e contou com a presença de políticos do Partido Bharatiya Janata (BJP). Nos últimos meses, membros do BJP e líderes radicais usam a questão das conversões religiosas para conquistar apoio político e sentimentos antiminorias no país.

Sobre as leis anticonversão na Índia

Em toda a Índia, falsas acusações de conversões forçadas em massa são usadas para justificar a criação de leis que limitam a liberdade religiosa e provocam a perseguição contra as minorias religiosas, como os cristãos.

As leis anticonversão existem desde 1967 nos estados na Índia. Hoje, alguns estados continuam aprovando esse tipo de lei que vai contra a liberdade religiosa, assegurada pelo artigo 25 da própria constituição do país.

Esse tipo de legislação tem o objetivo de coibir tentativas conversões e casamentos interreligiosos por meios forçados ou fraudulentos, ou por aliciamento ou indução.

Segundo a International Christian Concern (ICC), caso uma pessoa queira se converter a uma nova religião, a lei obriga que o convertido e o seu líder religioso precisam apresentar um requerimento à administração central distrital, com 60 dias de antecedência. O não cumprimento desta lei pode acarretar em prisão ou multas.

Com a aprovação de leis anticonversão em diversos estados da Índia, nacionalistas radicais são encorajados a espalhar falsas acusações de conversão forçada por parte de cristãos, com o propósito de justificar sua violência contra os crentes, sem intervenção da polícia local.

 

Siga-nos

Mais do Guiame