Pregador de rua preso na China é libertado, após ser mantido sob vigilância por 20 anos

Os oficiais do Partido Comunista Chinês sabiam por onde e com quem Chen Wensheng havia pregado. Somente em 2021, Chen Wensheng pregou mil vezes em várias cidades chinesas.

Fonte: Guiame, com informações do International Christian ConcernAtualizado: segunda-feira, 19 de julho de 2021 14:46
Chen Wensheng já foi presos várias vezes por “evangelismo ilegal” nas ruas da China. (Foto: China Aidi).
Chen Wensheng já foi presos várias vezes por “evangelismo ilegal” nas ruas da China. (Foto: China Aidi).

Chen Wensheng, um pregador de rua da cidade de Hengyang, que havia sido preso pela polícia chinesa no mês passado, foi libertado no dia 8 de julho, após ter sido interrogado e coagido a parar de pregar o Evangelho nas ruas da China.

O evangelista Chen foi preso no dia 19 de junho por oficiais de segurança do Partido Comunista Chinês (PCC), na província de Zhejiang. Depois de levá-lo de volta para a província de Hunan, onde mora, as autoridades mantiveram o cristão sob vigilância por 20 dias, no West Lake Resort.

Durante sua detenção, líderes do Bureau de Assuntos Étnicos e Religiosos e o Departamento de Segurança do Estado interrogaram Chen e tentaram o persuadir a parar de pregar o Evangelho nas ruas das cidades chinesas.

Os oficiais do PCC disseram ao pregador que já estavam lhe vigiando há 20 anos e sabiam os lugares por onde o cristão havia pregado. De acordo com o China Aid, as autoridades chinesas sabiam de todas as viagens que Chen Wensheng havia feito naquele período, bem como as pessoas que viajaram com ele.

Os oficiais documentaram até mesmo quando o pregador viajou com outros quatro cristãos por vários países a caminho do Tibete, onde evangelizaram.

A respeito da vigilância da qual foi vítima, Chen declarou recentemente: “Graças a Deus pelo conhecimento completo do PCC do fato de que vou a diferentes lugares para pregar o Evangelho. Eles contaram meu histórico como se estivessem enumerando a herança de sua própria família. As autoridades também me disseram que, em 2021, eu estive em outras regiões para proclamar o evangelho mais de mil vezes”.

Na tarde do dia em que foi solto, Chen foi, surpreendentemente, bem tratado pelos oficiais de segurança, que lhe ofereceram vários pratos e bebidas no seu último jantar na detenção no luxuoso West Lake Resort.

O evangelista Chen afirmou que deseja que os oficiais tenham fé no Evangelho e recebam Jesus.

“Estou muito grato pelos guardas terem demonstrado misericórdia de mim desta vez. Agradeço a Deus por seu amor e cuidado absolutos, por ter experimentado o tratamento especial de comissário do Evangelho do Reino de Deus. Que o meu Deus tenha misericórdia deles e conceda-lhes fé para que respondam à salvação do meu Senhor Jesus”, declarou.

Preso por “evangelismo ilegal”

Não é a primeira vez que o pregador de rua é preso pela polícia chinesa. Em agosto de 2020, Chen foi condenado a 10 dias de prisão por cometer “evangelismo ilegal” nas ruas da China.

Wensheng faz parte da Igreja Xiaoqun em Hengyang. Ele frequentemente carrega uma cruz de madeira com as frases “glória ao nosso Salvador” e “arrependa-se e seja salvo pela fé” enquanto evangeliza os pedestres.

Na China, o evangelismo é proibido fora dos locais autorizados pelo governo comunista. A organização International Christian Concern (ICC) relata que os evangelistas de rua enfrentam constante assédio ou detenção, enquanto suas igrejas sofrem ainda mais restrições pelas autoridades.

 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame